Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

DUPLO HOMICÍDIO

Guarda municipal estaria “bem e vivo”, afirma polícia após mensagens de despedida

Ele matou a ex-namorado e um amigo dela no domingo
03/03/2020 15:29 - Fábio Oruê


 

Guarda municipal Valtenir Pereira da Silva, de 35 anos, após postar mensagens com teor de despedida no status do seu WhatsApp, estaria “bem e vivo”, como apontam as investigações da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam). Ele fugiu após matar a ex-namorada Maxelline da Silva dos Santos, de 28, e o amigo dela Steferson Batista de Souza, de 32, na madrugada de domingo (1), em Campo Grande. 

Conforme informações divulgadas pela delegada responsável pelo caso, Sueili Araújo, as mensagens que ele teria postado no aplicativo de mensagens, que foram divulgadas ontem (2) estão sendo averiguadas pela polícia. “Está sendo investigado, já que as informações de amigos dão conta de que [Valtenir] estaria bem e vivo”, diz a nota da delegada. 

Além disso, Araújo informou que o guarda é reincidente em crimes contra a mulher. Em 2014 ele ameaçou e agrediu uma outra ex-namorada, novamente porque não aceitava o término do relacionamento. “Demonstrando um sentimento de posse sobre a mulher, comum do machismo enraizado em muitos homens e até em muitas mulheres”, afirma. 

A Guarda Civil Municipal não foi informada sobre este caso, e consequentemente o mesmo não foi afastado. Agora, a GCM instaurou processo administrativo disciplinar contra Valtenir, que foi afastado das funções por 60 dias e teve o porte e posse de arma suspenso, em decreto no Diário Oficial do município (Diogrande) desta terça-feira. 

Segundo apontam as diligências, ele não pretende se entregar e ainda é classificado como foragido, já que há um mandado de prisão preventiva contra ele. 

 
 

CASO

Maxelline estava em um churrasco na casa de um casal de amigos quando o guarda municipal chegou no local. A vítima e a amiga Kamila Teles Bispo, de 31,  foram até a frente da casa conversar com o suspeito, quando ocorreu uma discussão. 

Em seguida, o guarda atirou na cabeça da ex-namorada e nas costas da amiga, quando ela tentou fugir para dentro do imóvel. Ao ouvir o tiro, Steferson, dono da casa e marido de Kamila, foi ver o que tinha acontecido e também acabou sendo atingido por um tiro, morrendo no local. 

Kamila foi encaminhada em estado grave para Santa Casa e transferida para o Hospital da Unimed na manhã de ontem. Conforme apurou o Correio do Estado, ela passou por cirurgia para retirar a bala e está estável. 

*Colaborou Camila Zanin e Natalia Yahn

 

 

Felpuda


É quase certo que a aposentadoria deverá ocorrer de maneira mais rápida do que se pensava em determinado órgão. O que deveria ser a tal ordem natural dos fatos acabou sendo atropelada por acontecimentos considerados danosos para a imagem da instituição. Os dias estão passando, o cerco apertando e já é praticamente unanimidade de que a cadeira terá de ter substituto. Mas, pelo que se ouve, a escolha não deverá ser com flores e bombons de grife.