Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

MANDADO DE PRISÃO

Guarda que matou ex e amigo se entregou para colegas no local de trabalho

Policiais fizeram força-tarefa para encontrar guarda
06/03/2020 11:35 - Bruna Aquino, Ricardo Campos Jr


O guarda municipal Valtenir Pereira da Silva procurou a base da corporação em que ele trabalhava, no bairro Aero Rancho, para se entregar. Investigadores da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) estavam negociando com a família para que ele se apresentasse, já que existe um mandado de prisão em aberto.

Valtenir é servidor público há 11 anos. Ontem, agentes de três unidades diferentes da Polícia Civil se uniram em uma força-tarefa para tentar encontrá-lo.

Até um helicóptero foi utilizado. De acordo com denúncia anônima, Valtenir estava na casa de um primo, na região do bairro Aero Rancho. Nas buscas foram apreendidos uniformes da Guarda Municipal, a carteira funcional do autor e outros pertences pessoais.

Como havia um mandado de prisão em aberto contra o suspeito, ele deve ser mantido na delegacia até que a Justiça decida o destino dele.

DUPLO HOMICÍDIO

Valdenir não aceitava o fim da relação. Ele chegou a invadir a casa de Maxelline e ameaçá-la, motivando a vítima a registrar ocorrência e pedir medida protetiva. Domingo, ela estava em um churrasco na casa de amigos quando o guarda foi até o local.

Maxelline e a amiga Kamila Teles Bispo foram ver quem era e foram baleadas. Steferson ouviu o barulho e, ao sair de casa, também foi atingido.

Depois do crime, Kamila foi levada para a Santa Casa da Capital e depois transferida para o Hospital da Cassems, onde passou por cirurgia para a retirada da bala.

Felpuda


É quase certo que a aposentadoria deverá ocorrer de maneira mais rápida do que se pensava em determinado órgão. O que deveria ser a tal ordem natural dos fatos acabou sendo atropelada por acontecimentos considerados danosos para a imagem da instituição. Os dias estão passando, o cerco apertando e já é praticamente unanimidade de que a cadeira terá de ter substituto. Mas, pelo que se ouve, a escolha não deverá ser com flores e bombons de grife.