Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

VIOLÊNCIA

Homem agride esposa e mata sogro a facadas na Capital

Suspeito fugiu após cometer o crime
07/12/2019 10:46 - ALÍRIA ARISTIDES


Um homem de 23 anos, foi preso na noite de sexta-feira (6) após matar o próprio sogro, identificado com Airton Pacheco, de 56 anos, com uma facada no pescoço. O crime aconteceu no Residencial Dallas, em Campo Grande.

De acordo com o boletim registrado para a ocorrência, o homem, que trabalhava como tapeceiro, era casado com a filha de Airton há quatro anos, com quem tem um filho de cerca de um ano. A mulher informou à polícia que recentemente o marido vinha apresentando comportamento agressivo. Ainda de acordo com a esposa, durante uma briga na noite de ontem por causa de som alto, o homem a agrediu com tapas e empurrões.

A mulher ligou para a mãe e relatou o que havia acontecido. Airton, a esposa e outra filha do casal, de 10 anos, foram até a casa para intervir na situação. No local, enquanto a jovem arrumava os pertencentes para deixar a casa, a vítima tentava controlar o genro. 

Quando a família entrou no carro para ir embora, o tapeceiro teria perdido o controle e avançado contra o carro com um facão. Com a arma, foi até a janela do motorista e esfaqueou o próprio sogro com um golpe no pescoço. Em seguida, fugiu para um matagal

Pela gravidade do ferimento, Airton morreu ainda no local. Equipes do Grupo de Operações e Investigações (GOI) foram acionados para encontrar o autor do crime. Durante as buscas, chegaram à casa da irmã do homem, onde o acharam tentando se esconder. O tapeceiro foi preso em flagrante e encaminhado à Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) da Vila Piratininga.  

Felpuda


A lista do Tribunal de Contas de MS, com nomes de gestores que tiveram reprovados os balanços financeiros de quando exerceram cargos públicos, está deixando muitos candidatos de cabeça quente.  Conforme previsto pelo Diálogo, adversários estão se utilizando de tais dados para cobrar, principalmente nas redes sociais, deixando alguns gestores na maior saia justa e tendo que se explicar. O eleitor, por enquanto, só observa. E dê-lhe!