Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

EMPREGO

Governo nomeará mais 253 agentes penitenciários aprovados em concurso

Concorrência foi feita em 2016 e já convocou mais 605 servidores durante os anos
27/07/2020 18:05 - Da Redação


O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) anunciou nesta segunda-feira (27) que pretende nomear 253 candidatos aprovados no concurso público para agente penitenciário estadual feito em 2016. Todos já passaram por curso de formação e reforçarão o quadro de servidores da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário de Mato Grosso do Sul (Agepen-MS).

Os novos agentes, que são formados no ensino superior, vão trabalhar nas áreas de Assistência e Perícia; Administração e Finanças; e Segurança e Custódia em presídios por todo o Estado. A distribuição ocorrerá conforme estratégia da Agência.

“Desde 2017 já chamamos 605 agentes, em quatro diferentes convocações. Agora, na quinta convocação, que sai nesta semana, serão mais 253 agentes. Um total, portanto, de 858 agentes nomeados no nosso governo”, declarou o governador, por meio de sua assessoria.

O concurso foi realizado em 2016 com oferta de 436 vagas para agentes penitenciários estaduais e recebeu inscrições de 6,5 mil inscrições. Ele acabou sendo ampliado no decorrer das etapas. A primeira nomeação de candidatos aprovados ocorreu em abril de 2017, quando 200 concorrentes foram chamados.

A segunda convocação, também em 2017, mas no mês de junho, quando 120 novos servidores foram integrados à Agepen. Já na terceira fase de nomeações, em fevereiro de 2018, 85 aprovados foram chamados. Em setembro de 2019, a quarta convocação nomeou 200 candidatos. (Com assessoria)

 
 

Felpuda


Nos bastidores, há quem garanta que a única salvação, de quem está com a corda no pescoço, é ele aceitar ser candidato a vice-prefeito em chapa de novato no partido. Vale dizer que isso nunca teria passado por sua cabeça, uma vez que foi eleito com, digamos, “caminhão de votos”. Se aceitar a imposição, pisaria na tábua de salvação; se recusar, poderá perder o mandato. Ah, o poder!