Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

FRIO E CRUEL

Principal testemunha de duplo homicídio foi baleada ao tentar acalmar guarda municipal

Kamila levou um tiro nas costas e ajudou a esclarecer a dinâmica do crime
05/03/2020 17:28 - Fábio Oruê


 

Enfermeira Kamila Teles Bispo, de 31 anos, principal testemunha do assassinato do marido Steferson Batista de Souza, de 32, e da amiga Maxelline da Silva dos Santos, de 28, no último domingo, em Campo Grande, contou detalhes do dia do crime cometido pelo ex-namorado de Maxelline, o guarda municipal Valtenir Pereira da Silva, de 35. 

Em depoimento à delegada Sueyli Araújo, da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), Kamila disse que durante a conversa do ex-casal, Valtenir - que queria reatar o relacionamento - estava nervoso e aparentemente queria levar embora Maxelline. Todos estavam na casa de Kamila e Steferson durante um churrasco quando o suspeito chegou. 

Ao final de quase 30 minutos de conversa - que começou calma - foi possível ouvir Maxelline dizendo: “Eu não quero”, momento em que a amiga saiu na frente da residência e tentou acalmar Valtenir,  conforme contou à imprensa a delegada responsável pelas investigações.

 
 

“Nisso, o autor sacou a arma de fogo, desferindo o primeiro tiro contra a vítima Kamila. Em seguida, a vítima Steferson saiu a porta para ver o que estava ocorrendo e também foi atingido pelo segundo disparo”, contou Araújo. 

Maxelline tentava a todo momento contê-lo, chegando a segurar o seu braço. “Em seguida, friamente, o autor desferiu o terceiro disparo quase à queima-roupa na cabeça da vítima. Uma execução cruel!”, disse a delegada. 

Outras duas testemunhas ouvidas pela polícia e que estavam no local confirmaram a versão de Kamila. Elas já estavam dentro do carro quando ouviram os tiros e, temendo pela própria vida, “arrancaram” com o carro. Só voltaram quando perceberam que o autor tinha fugido. 

VERSÃO ANTERIOR 

 A polícia suspeitava, por conta das evidências, que durante a discussão, Valtenir teria atirado primeiro em Maxelline e posteriormente em Kamila, que teria tentado fugir. Por fim, teria atirado em Steferson quando o mesmo saiu na frente da residência. 

Depois do crime, Kamila foi levada para a Santa Casa da Capital e depois transferida para o Hospital da Cassems, onde passou por cirurgia para a retirada da bala. Ela está em local sigiloso porque Valtenir, ainda está foragido, e culpava as amizades de Maxelline pelo término do relacionamento.

 
 

CERCO FECHADO

Na manhã desta quinta-feira (5), equipes da Delegacia Especializada de Repressão a Roubos, Assaltos e Sequestros (Garras), Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico (Denar), Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf), além de policiais à paisana e um helicóptero participaram de operação no bairro para tentar prender o autor do duplo homicídio.

De acordo com denúncia anônima, Valtenir estava na casa de um primo, na região do bairro Aero Rancho. Nas buscas pela residência foram apreendidos uniformes da Guarda Municipal, a carteira funcional do autor e outros pertences pessoais. A polícia acredita que ele fugiu momentos antes da chegada deles. 

Segundo a delegada, a arma usada no crime não foi localizada e Valtenir pode estar armado. Ele ainda é classificado como foragido, já que há um mandado de prisão preventiva contra ele. 

 

Felpuda


Na troca de alfinetadas entre partidos que não se entenderam até agora sobre eventual aliança, uma outra peça está surgindo: trata-se do levantamento completo sobre investimentos feitos, recursos liberados, parcerias em todas as áreas, além do prazo de quando tudo isso começou. Caso os palanques venham a ficar distanciados, a divulgação será feita à exaustão durante a campanha eleitoral, para mostrar quem é quem na história. Os bombeiros continuam atuando.