Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PLACEBO

Operação mira desvio de recursos no combate à Covid-19 no RJ

Casa do governador Wilson Witzel é alvo de mandado
26/05/2020 07:40 - Ricardo Campos Jr


 

Policiais federais amanheceram na casa do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), na manhã desta terça-feira (26). O imóvel é alvo de uma operação que apura desvio de dinheiro no combate à Covid-19 naquele estado.

Segundo informações da Agência Brasil, as investigações apontam que o esquema envolvia uma organização contratada para montar hospitais de campanha. As ilegalidades envolviam inclusive servidores da alta cúpula da Secretaria de Saúde. 

Os agentes cumprem 12 mandados de busca e apreensão, expedidos pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), nos estados de São Paulo e do Rio de Janeiro. Segundo informações do G1, os federais deixaram o Palácio das Laranjeiras (residência oficial de Witzel e sua esposa Helena) com um malote repleto de documentos às 8h40 (horário de Brasília). 

Ainda conforme o G1, o ex-subsecretário de Saúde do Rio Gabriel Neves e a  Iabas (Instituto de Atenção Básica e Avançada à Saúde), contratada para erguer sete hospitais de campanha, tamvém são alvos da operação.

Carla Zambelli nega que soube antecipadamente de operação da PF contra Witzel.

A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) negou nesta terça-feira, 26, em entrevista à CNN Brasil, que tenha sabido antecipadamente da operação Placebo, deflagrada nesta manhã em endereços do governador do Rio, Wilson Witzel (PSC).

A suspeita de que a aliada do presidente Jair Bolsonaro tivesse acesso a informações privilegiadas foi amplamente repercutida por parlamentares devido à declaração de Carla à Rádio Gaúcha, na segunda-feira, sobre como a PF estava investigando irregularidades cometidas por governadores durante a pandemia e faria operações "nos próximos meses".

"Eu não sou uma pessoa burra. Se eu tivesse informação privilegiada, eu falaria isso publicamente?", questionou a deputada na entrevista à CNN. Na mesma linha, apontou, em tom de indagação: "se há algum tipo de interferência (de Bolsonaro na operação de hoje), o presidente também está agindo em cima do STJ?"

Ainda segundo Carla Zambelli, a deflagração da operação Placebo menos de 24h depois das suas declarações à Rádio Gaúcha foi "uma feliz coincidência" que ela espera que se repita em outros Estados.

 

 

 

 

Felpuda


A lista do Tribunal  de Contas de MS,  com nomes de gestores que tiveram reprovados os balanços financeiros  de quando exerceram cargos públicos,  está deixando  muitos candidatos de cabeça quente.  Conforme previsto  pelo Diálogo, adversários estão se utilizando de tais dados para cobrar, principalmente nas redes sociais, deixando alguns gestores na maior saia justa e tendo que se explicar. O eleitor, por enquanto, só observa. E dê-lhe!