Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

GAECO

Operação "Ponto Cego" cumpre mandados contra integrantes do PCC

Gaeco, Bope e Choque estão nas ruas em Campo Grande e outros três municípios, em ação contra tráfico de drogas e associação criminosa
07/07/2020 09:17 - Gabrielle Tavares, Glaucea Vaccari


 

Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) cumpre mandados de prisão em quatro municípios de Mato Grosso do Sul, incluindo a Capital, em operação contra o tráfico de drogas e associação criminosa. Os alvos seriam integrantes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC).  

De acordo com informações do Ministério Público Estadual, serão cumpridos 40 mandados de prisão preventiva e 14 de busca e apreensão em Campo Grande, Dourados, São Gabriel do Oeste e Sidrolândia.  

Do total de mandados, 27 são contra integrantes do PCC que já estão em presídios do Estado e, mesmo presos, continuam a praticar crimes, como tráfico de drogas, roubos e homicídios nos chamados Tribunais do Crime. 

Em Campo Grande, pela manhã, um homem de 21 anos foi preso no Jardim Anache e encaminhado a Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) do Centro. Ele já tem passagens por tráfico de drogas. 

Outro rapaz, que não teve a identidade divulgada, foi preso no Santa Emília e levado para o Centro de Polícia Especializada (Cepol). Os locais onde os mandados são cumpridos e os alvos não foram divulgados. Equipes continuam nas ruas durante esta manhã. 

A operação do Gaeco é denominada "Ponto Cego" e conta com apoio do Batalhão de Operações da Polícia Militar (Bope) e do Batalhão de Choque da PM. O foco é o PCC, com atuação dentro e fora dos poresídios. 

O nome da operação faz referência à necessidade de isolar os principais integrantes da organização criminosa, dentro dos presídios, a fim de impedir que continuem a cometer crimes.

* Colaborou Valdenir Rezende

 
 

Felpuda


Candidato a vereador caiu em desgraça, pelo menos em um dos bairros de Campo Grande, ao promover comício em ginásio de esporte, com direito a ônibus lotados e espoucar de muitos fogos de artifício.

Aí dito-cujo foi alvo de muitas críticas, tanto pela zoeira causada, como por ter mandado às favas quaisquer cuidados na prevenção da Covid-19, ao promover grande aglomeração. Irresponsabilidade é pouco, hein?!