Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PONTA PORÃ

PF prende cinco na fronteira e bloqueia três imóveis de mais de R$ 1 milhão

Segunda fase da Operação Strada, que visa combater o tráfico de cocaína entre Paraguai e Brasil, foi deflagrada na manhã desta quinta-feira (13)
13/08/2020 11:03 - Nyelder Rodrigues


Cinco integrantes de uma organização criminosa responsável pelo tráfico de drogas, em especial cocaína, foram presos nesta manhã de quinta-feira (13) pela Polícia Federal (PF) na segunda fase da Operação Strada. Além dessas prisões, também foram sequestradas judicialmente três imóveis usados pelos criminosos, avaliados em mais de R$ 1 milhão.

Participaram da ação de hoje 16 policiais, que além dos cinco mandados de prisão preventiva, cumpriram quatro mandados de busca e apreensão, todos eles expedidos pela Justiça Federal de Ponta Porã, local de cumprimentos de todos eles. Documentos, aparelhos celulares e R$ 24 mil em espécie foram apreendidos durante o trabalho.

De origem paraguaia, a droga traficada era transportada em compartimentos ocultos preparados nos veículos conduzidos pelas chamadas 'mulas', escoltadas por 'batedores' que informavam sobre a existência de barreiras policiais no percurso. 

 
 

Durante a investigação, se descobriu que a movimentação financeira da organização usava-se de casas de câmbio sediadas no Paraguai e contas bancárias titularizadas por terceiros. Foram presos hoje cinco homens com idades de 48, 42, 33, 22 e 19 anos.

Operação Strada

O trabalho da Operação Strada começou em abril de 2019, apontando diversos carregamentos de cocaína pertencentes à organização criminosa sendo identificados entre novembro de 2018 e abril de 2019, não apenas em Mato Grosso do Sul, mas também em São Paulo, Minas Gerais e Paraná. Sete 'mulas' foram presas e 400 kg de cocaína apreendido desde então.

Ainda na primeira fase, foi descoberto que o líder da organização, que não teve o nome revelado, era um foragido da Justiça Estadual, alvo de um mandado de prisão ainda em 2015, quando a PF deflagrou a Operação Stinguer.

O criminoso fugiu para o Paraguai e passou a usar documento de identidade falso para não ser preso. Porém, na primeira fase da Strada ele foi encontrado e preso em flagrante pela PF por uso de documento falso e por ilegal de arma, e o mandado anterior também foi cumprido.

Dezenas de aparelhos celulares, veículos, joias, valores em espécie, armas e anotações com contabilidade do tráfico foram apreendidas na primeira fase da Strada, além de sequestrados outros imóveis. Também foram localizados veículos com compartimento preparado para o transporte de drogas, além de objetos comumente utilizados para embalar entorpecentes.

 

Felpuda


Figurinha está trabalhando intensamente para tentar eleger a esposa como prefeita de município do interior.

Até aí, uma iniciativa elogiável. Uns e outros, porém, têm dito por aí que seria de bom tom ele não ensinar a ela, caso seja eleita, como tentar fraudar folha de frequência de servidores. 

Afinal, assim como ele foi flagrado em conversa a respeito com outro colega, não seria nada recomendável e poderia trazer sérias consequências. Só!