Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

MILÍCIA

Policial preso na Omertá é transferido para Batalhão de Escolta da PM

Terceiro sargento é acusado de integrar milícia e foi preso no mês passado
13/07/2020 12:04 - Glaucea Vaccari


Policial Militar Rogério Luís Phelippe, preso no mês passado na terceira fase da Operação Omertá, foi transferido do Comando Geral / Ajudancia-Geral (Aj-Geral) para o Batalhão da Polícia Militar de Guarda e Escolta (BPMGdaE). Ele é apontado como chefe dos seguranças do grupo armado de Jamil Name.  

Conforme denúncia, o 3º sargento da PM atuava como motorista do deputado estadual Jamilson Name e seria responsável por organizar a segurança de integrantes do grupo e criar listas de pessoas no alvo da milícia.  

Consta ainda na denúncia que o policial desempenhava as mais diversas atividades, como checagens em banco de dados de acesso restrito, preparação de veículos para empreitadas ilícitas, motorista, transporte de armas e dinheiro, vigilância, reconhecimento operacional, e, como chefe dos seguranças do grupo, passou a elaborar escalas e outras atribuições correspondente.

O policial foi denunciado por integrar organização criminosa, corrupção passiva e violação do sigilo funcional. 

Rogério foi preso no dia 18 de junho, durante a terceira fase da Operação Omertà, quando também foram presos o conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE-MS), Jerson Domingos; o delegado da Polícia Civil, Márcio Obara, três policiais (civis e militares) e uma sobrinha de Jamil, Cinthya Name.   

 
 

Felpuda


Ex-cabecinha coroada anda dizendo por aí ser o responsável por vários projetos para Campo Grande, executados posteriormente por sucessor. 

Ao fim de seus comentários, faz alerta para que o eleitor analise atentamente de como surgiram tais obras e arremata afirmando que não foi “como pó mágico de alguma boa fada madrinha. 

Houve muito suor nos corredores de Brasília”. Então, tá!...