Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

FALSIFICAÇÃO

Ronaldinho Gaúcho e irmão ficarão presos no Paraguai por determinação de juíza

Ídolo do futebol foi preso no Paraguai com documentos falsos
07/03/2020 16:06 - Fábio Oruê


 

Em audiência na tarde deste sábado, a juíza paraguaia Carla Ruiz Díaz determinou que a prisão preventiva do jogador brasileiro Ronaldo de Assis Moreira - o Ronaldinho Gaúcho - e seu irmão Roberto de Assis Moreira seja mantida durante as investigações do caso de falsificação de passaporte em que ambos estão envolvidos. 

Conforme informações do site ABC Color, eles serão encaminhados e ficarão sob custódia do Grupo Especializado da Polícia Nacional em Assunção (PY). A decisão foi tomado porque a dupla tinha passagens marcadas para deixar o país, o que foi entendido pela Justiça como uma tentativa de fuga. 

Ronaldinho e o irmão tiveram a prisão decretada pela Justiça do Paraguai na noite de sexta-feira e passaram pela audiência para a decisão que iria definir se eles teriam liberdade provisória ou iriam continuar preso.  

Os dois chegaram algemados para a audiência no Palácio da Justiça, mas o ex-jogador da Seleção Brasileira usou um pano rosa para esconder as algemas.

Distante das suítes de luxo dos hotéis cinco estrelas, eles passaram a noite em uma cela improvisada do Grupamento Especializado da Polícia Nacional, após serem oficialmente acusados pela posse de documentos paraguaios adulterados. Eles deixaram o local, que recebe apenas presos de maior relevância, para prestar o novo depoimento.

Ronaldinho dormiu em uma cama de solteiro dentro de uma sala administrativa, habilitada como cela no chamado “quadrilátero” do Grupamento, relatou o chefe do quartel, comissário Blas Vera.

Felpuda


É quase certo que a aposentadoria deverá ocorrer de maneira mais rápida do que se pensava em determinado órgão. O que deveria ser a tal ordem natural dos fatos acabou sendo atropelada por acontecimentos considerados danosos para a imagem da instituição. Os dias estão passando, o cerco apertando e já é praticamente unanimidade de que a cadeira terá de ter substituto. Mas, pelo que se ouve, a escolha não deverá ser com flores e bombons de grife.