Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

EX-JOGADOR

Depois de passar a noite na prisão, Ronaldinho Gaúcho chega algemado para depoimento

Ídolo do futebol foi preso no Paraguai com documentos falsos
07/03/2020 11:07 - Da Redação


O ex-jogador de futebol, Ronaldo de Assis Moreira, o Ronaldinho Gaúcho, e seu irmão Roberto de Assis deixaram a prisão na manhã deste sábado para prestar novo depoimento à juíza Clara Ruiz Dias, em Assunção, no Paraguai. Nesta audiência será decidido se o ídolo do futebol terá liberdade provisória.  

Os dois chegaram algemados para a audiência no Palácio da Justiça, mas o ex-jogador da Selação Brasileira usou um pano rosa para esconder as algemas.

Ronaldinho e o irmão tiveram a prisão decretada pela Justiça do Paraguai na noite de sexta-feira, acusados de falsificar documentos, e estão impedidos de saírem do país durante as investigações.

Conforme o jornal “ABC Color”, os brasileiros chegaram para depor às 9h40m (hora local) e, meia-hora depois, foram levados diante da juíza, que determinará se irá mantêlos em prisão preventiva ou determinar medias alternativas.

Distante das suítes de luxo dos hotéis cinco estrelas, Ronaldinho e o irmão  passaram a noite em uma cela improvisada do Grupamento Especializado da Polícia Nacional, após serem oficialmente acusados pela posse de documentos paraguaios adulterados. Eles deixaram o local,  que recebe apenas presos de maior relevância, para prestar o novo depoimento.

Ronaldinho dormiu em uma cama de solteiro dentro de uma sala administrativa, habilitada como cela no chamado “quadrilátero” do Grupamento, relatou o chefe do quartel, comissário Blas Vera.

A poucos metros do dormitório improvisado, estão presos um conhecido político paraguaio processado por corrupção e Ramón González Daher, ex-presidente da Associação de Futebol do Paraguai.

 
 

Felpuda


Devidamente identificadas as figurinhas que agiram “na sombra” em clara tentativa de prejudicar cabeça coroada. Neste segundo semestre, os primeiros sinais começarão a ser notados como reação e “troco” de quem foi atingido. Nos bastidores, o que se ouve é que haverá choro e ranger de dentes e que quem pretendia avançar encontrará tantos, mas tantos empecilhos, que recuar será sua única opção na jornada política. Como diz o dito popular: “Quem muito quer...”.