Clique aqui e veja as últimas notícias!

DEMANDAS

Segurança pede munições, helicóptero e ajuda no combate à incêndios ao governo federal

Secretário nacional de Segurança Pública está no estado para visita técnica e sobrevoar fronteira
21/01/2021 15:33 - Glaucea Vaccari , Thais Libni


Secretários municipal e estadual de Segurança Pública de Mato Grosso do Sul, Valério Azambuja e Antônio Carlos Videira, respectivamente, apresentaram demandas ao secretário nacional Segurança Pública, Carlos Renato Machado, nesta quinta-feira (21).

Machado está em Mato Grosso do Sul para uma visita técnica. No fim da manhã, ele se reuniu com representantes da segurança pública, em Campo Grande, e segue ainda hoje Aquidauana. Amanhã, agenda prevê um sobrevoo na fronteira.

Últimas notícias

Valério Azambuja pediu o envio de munições de pistolas calibre .40 para treinamento da Guarda Municipal.

Conforme o secretário municipal, a Polícia Rodoviária Federal doou 220 pistolas, mas são necessárias as munições.  

“A capacitação teórica já foi feita pelo município de Campo Grande e, no entanto, nós precisamos de 30 a 50 mil munições só de treino e, até que o município faça a licitação, faça um pregão e adquira isso, vai demorar pelo menos um ano”, disse.

Sobre essa demanda, Machado disse que não pôde dar uma resposta imediata pois não tem informações se dispõe deste tipo de recurso.  

“Temos uma prazo legal, até 15 de fevereiro, que nos impede de fazer qualquer doação, em razão das eleições municipais que acabaram de acontecer”, explicou, acrescentando que o direcionamento é viabilizar os pedidos se assim for possível.

Já o secretário estadual de segurança, Antônio Carlos Videira, disse que, entre as demandas do Estado, foi apresentado pedido de apoio ao Corpo de Bombeiros no enfrentamento aos incêndios florestais, não só no Pantanal, mas nas bacias dos rios Paraná e Taquari.

“Eles já nos apoiaram em 2020 e se colocaram a disposição, e estão buscando, no pós-incêndio, otimizar os recursos que foram empregados de forma que a gente possa ser mais eficiente na minimização desses danos ao meio ambiente”, disse Videira.

Secretário afirmou ainda que também foram apresentadas demandas referentes ao sistema penitenciário, que vão desde equipamentos para extração de dados de telefones celulares, até equipamentos e insumos para a realização de exames periciais em drogas e de matriz biológica.

Foram requeridos ainda helicóptero, equipamentos de proteção individual, munições e capacitação.

As demandas serão analisadas e a resposta deve ser dada no dia 4 de fevereiro, quando o ministro da Justiça, André Mendonça, virá ao Estado inaugurar um novo complexo penitenciário, com 603 vagas.

Secretário nacional

O secretário nacional de segurança pública, Carlos Renato Machado, disse que a visita à Mato Grosso do Sul é uma aproximação estratégica, para entender a realidade do Estado e fazer um planejamento de gestão mais apropriado e específico, para poder viabilizar entregas e fomentar parceria com o governo federal.

“Nós não podemos imaginar lá de Brasília o que é a realidade do Mato Grosso do Sul, o que pensam que seria interessante em termos de um recurso, de um investimento, sem estar aqui com eles, sem estar conversando, sem ouvir. Eu acho que o aprendizado aqui é muito grande e muito importante para o fortalecimento da pasta”, disse.

Sobre a visita à fronteira, Machado afirmou que a região fronteiriça do País é um desafio permanente, onde o trabalho envolve investimentos em logística e capacitação de recursos humanos.

“Nós precisamos conhecer, conversar com as pessoas que estão operando nesses exatos locais para ter uma dimensão de como contribuir, porque hoje, se nós temos bons resultados de apreensões, é porque os profissionais que lá estão, estão fazendo trabalho de maestria com conhecimento notável, adquirido na região, e nós temos que fomentar ainda mais que esse conhecimento cresça e investir de forma precisa”.

Quanto ao enfrentamento aos incêndios, que todos os anos atingem o Pantanal, Machado disse que planejamento inclui aquisição de aeronave para o transporte da tropa e para atividades de combate às chamas.

“O Ministério da Justiça faz parte do processo de enfrentamento aos problemas que afetam a segurança pública e nossa direção é contribuir a ajudar nesses pedidos”, finalizou.