Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

ARMAMENTISTA

Deputado federal Loester Trutis continua detido e pode ser levado para presídio

Deputado do PSL é suspeito de ter forjado atentado contra si, em fevereiro
12/11/2020 15:31 - Eduardo Miranda


Preso desde as primeiras horas desta quinta-feira (12), o deputado federal Loester Trutis (PSL), ainda não conseguiu libertar-se do flagrante de posse ilegal de arma de fogo.  

O Correio do Estado apurou que os policiais federais devem conduzir Trutis para um dos presídios de Campo Grande ainda nesta quinta-feira. A Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) estaria procurando uma unidade prisional para que o parlamentar, que têm direito a prisão especial, fique detido. 

Trutis é um dos alvos da Operação Tracker, desencadeada a pedido do Supremo Tribunal Federal. Os dez mandados de busca e apreensão foram expedidos a mando da ministra do Supremo Tribunal Federal Rosa Weber.  

O objetivo do inquérito é investigar os crimes de porte e posse ilegal de arma de fogo, além de falsa comunicação de crime. Os mandados foram expedidos no bojo de um inquérito conduzido pelo STF, em que Trutis teria sido vítima de um atentado ocorrido em 16 de fevereiro, na BR-060, entre Campo Grande e Sidrolândia.  

Em abril, o Correio do Estado obteve informações dos investigadores, que a hipótese de Trutis ter forjado um atentado contra si, não era descartada. Nas perícias realizadas à época, os policiais estavam encontrando dificuldade em identificar possíveis autores do crime, sobretudo, por poucas evidências de motivação.  

O Correio do Estado também apurou que as armas apreendidas pela Polícia Federal durante os cumprimentos de mandados (9 em Campo Grande e 1 em Brasília) serão periciadas. Os policiais federais não descartam que elas tenham sido usadas no atentado denunciado pelo próprio Trutis na ocasião.  

À época do atentado, Trutis não quis dar entrevista à imprensa. Falou apenas por meio de suas redes sociais, e na ocasião, atacou os veículos de comunicação.  

O inquérito tramita sob sigilo, e está no Supremo Tribunal Federal, por causa do foro privilegiado do deputado federal. O Correio do Estado procurou Loester Trutis na manhã desta quinta-feira (12), ainda não obteve resposta, pelo fato de ele estar incomunicável.  

 

QUASE CANDIDATO

Nestas eleições para prefeito de Campo Grande, Trutis tentou candidatar-se, mas teve seu pleito indeferido pela Justiça Federal, após longa batalha com seu correligionário, o vereador Vinícius Siqueira, que assumiu a candidatura. 

 
 
 

Felpuda


Outrora bons de votos – faziam adversários temerem o confronto nas urnas –, agora, por mais que tentem, alguns políticos não conseguem, nem de longe, alcançar patamar de outros tempos e voltar ao que eram. 

O pior é que, a cada disputa, a preferência popular só vem diminuindo. Neste ano, a eleição municipal demonstrou que muitos já estão com prazo de validade vencido e rótulo gasto.

E faz tempo, hein?!