Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

"RADICAL"

“Compromisso não foi cumprido”, diz deputado após deixar grupo na Assembleia

Atitude do parlamentar não foi bem vista pelos colegas
20/02/2020 15:56 - Adriel Mattos, Izabela Jornada


 

O deputado estadual João Henrique Catan (PL) disse que não foi cumprido um compromisso feito com ele com o G11, que ele deixou. A declaração foi feita durante a sessão desta quinta-feira (20) da Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso do Sul (Alems).

“Da minha parte, não houve nenhum descumprimento. Acho que foi um equívoco do grupo, mas não fico magoado”, explicou, lembrando a saída do grupo composto por parlamentares do PSD, SD, PP, PTB, Republicanos, PSL, PL, além do deputado Jamilson Name, que está sem partido.

Na Casa de Leis, há ainda o G-8, formado por deputados do MDB, DEM, PT e Patriota, além da bancada do PSDB. Líder do G10, Londres Machado (PSD) elogiou o parlamentar, apesar da saída conturbada. “O senhor também ajudou em todo o trabalho e valorização de nosso grupo ao longo de ano passado”, destacou o parlamentar, o mais experiente na Alems.

CRISE

Como antecipou o Correio do Estado na edição de hoje, Catan deixou o então G11 por ter sido contrariado. A atitude radical do parlamentar não repercutiu de maneira agradável entre os demais, alguns consideraram como uma “birra” por não ter conseguido continuar na Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ).  

A postura de Catan já estava sendo questionada há um tempo nos bastidores do Legislativo e segundo informações apuradas pelo Correio do Estado, a saída da CCJ também foi um pedido do Governo do Estado, além da insatisfação de outros deputados.

Depois de oito sessões ordinárias, quase um mês de trabalho, a Assembleia Legislativa conseguiu, enfim, montar a CCJ para o ano legislativo que começou no dia 4 deste mês. A principal comissão da casa, será composta pelos deputados Gerson Claro (PP), Evander Vendramini (PP), Lídio Lopes (Patriotas), Eduardo Rocha (MDB) e Professor Rinaldo (PSDB). O presidente e o vice da comissão também já foram anunciados.  

Antes da sessão de ontem deputados do G11 se reuniram no gabinete do líder do grupo e mais experiente da Casa, Londres Machado (PSD), para denifir quais nomes seriam indicados e Catan ficou de fora. Conforme noticiado ontem pelo Correio do Estado, Londres já havia afirmado que caso não tivesse consenso os nomes seriam votados.  

Procurado pelo Correio do Estado, Catan chegou a se comparar com o prefeito Marcos Trad (PSD). “Fui perseguido por ser independente e enfrentar instituições, defendi o grupo sempre que pude. Não gosto da política singular, mas não vejo problema de seguir independente, se isso viabilizar uma atuação melhor para o povo, só me preocupo com eles. Tiraram o Marquinhos da mesma forma no passado, o destino foi justo com ele”, declarou o parlamentar.  

 

Felpuda


Embora embalada por vários “ex”, pré-candidatura a prefeito de esforçada figura não deslancha. É claro que ninguém ousa falar em voz alta que o apoio, em vez de alavancar os índices com o eleitorado, está é puxando para baixo. Uns dizem que o título do filme “Eu Sei O Que Vocês Fizeram no Verão Passado” retrata bem a situação. Outros complementam: “... na primavera, no outono, no inverno...”. Como diria vovó: “Aqui você planta, aqui você colhe!”.