Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ELEIÇÕES 2020

“Wal do Açaí” registra candidatura como “Wal Bolsonaro” para vereadora

Ex-servidora pública, é investigada por, supostamente, ter sido funcionária fantasma no gabinete do então deputado Bolsonaro
25/09/2020 20:00 - Flávio Veras


Uma ex-funcionária parlamentar do presidente Jair Bolsonaro investigada por atuação fantasma registrou-se como “Wal Bolsonaro”  ao se candidatar a vereadora na cidade de Angra dos Reis, Rio de Janeiro.

Walderice Santos da Conceição, conhecida como “Wal do Açaí”, é investigada pela Procuradoria do Distrito Federal por ter recebido dinheiro público enquanto não atuava diretamente no gabinete do então deputado federal Jair Bolsonaro.

No site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a candidatura de Wal, pelo Republicanos, ainda está sob análise.

Em uma reportagem de janeiro de 2018, a Folha de S. Paulo encontrou Wal na Vila Histórica de Mambucaba, a 50 quilômetros de Angra dos Reis, onde ficava a casa de veraneio do então deputado.  

No local, ela mantém um pequeno estabelecimento comercial que vende açaí e cupuaçu. Seu marido prestava serviços de caseiro a Bolsonaro.

Enquanto cuidava do negócio, ela recebia 1.351 reais como funcionária do gabinete do então deputado Bolsonaro. No entanto, ela aparentemente não desempenhava funções ligadas à atividade parlamentar. Quando o caso veio à tona, Bolsonaro afirmou a repórteres da Folha que a servidora reportava a ele ou ao seu chefe qualquer “problema na região”.

Apesar do processo na Procuradoria, ainda não houve recolhimento de depoimento de Walderice desde 2018.

Neste ano, o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) chegou a endossar a candidatura de Wal e gravou um vídeo com ela no dia 4 de julho, chamando-a de “Wal do Bolsonaro”.

 

 
 

Felpuda


Candidato a vereador caiu em desgraça, pelo menos em um dos bairros de Campo Grande, ao promover comício em ginásio de esporte, com direito a ônibus lotados e espoucar de muitos fogos de artifício.

Aí dito-cujo foi alvo de muitas críticas, tanto pela zoeira causada, como por ter mandado às favas quaisquer cuidados na prevenção da Covid-19, ao promover grande aglomeração. Irresponsabilidade é pouco, hein?!