Clique aqui e veja as últimas notícias!

CONFUSÃO

'Fogo amigo': Agressão verbal de candidato do PT vira caso de polícia

Candidata, que foi agredida, registrou boletim de ocorrência contra Pedro Kemp na tarde desta quinta
29/10/2020 17:11 - Flávio Veras


A candidata a vereadora de Campo Grande pelo PT, Karla Cânepa, registrou um boletim de ocorrência contra deputado estadual o candidato a prefeito de Campo Grande, pela mesma sigla, Pedro Kemp. 

O parlamentar foi filmado durante uma discussão com a candidata no comitê de campanha dela.  

A motivação da briga, foi a distribuição orçamentária da verba eleitoral do partido. Segundo Kemp, Karla o acusou, em um grupo de WhatsApp, de dividir o montante de forma desigual entre os candidatos a uma cadeira da Câmara Municipal da Capital.

De acordo com o Boletim de Ocorrência, Cânepa relata que enviou uma mensagem para um grupo do WhatsApp que pertence a candidatas a vereadoras do partido questionando explicações sobre as divisões do dinheiro empenhado nas campanhas pelo PT em Campo Grande.  

Ainda de acordo com o documento, a denunciante admite que em determinado momento da conversa, teria chamado Kemp de "demagogo".

“A vítima relata que alguém desse grupo, que ela afirma não saber quem é, teria enviado um ‘print’ dessa conversa para o autor, que então ligou para a vítima já bastante alterado e gritando, pedindo explicações, momento em que a vítima desligou o telefone. 

O autor ligou novamente, outra pessoa do comitê de campanha atendeu, e informou que a vítima estava em reunião. O autor teria desligado o telefone e falou que iria até o local”, relatou Cãnepa.  

Ainda de acordo com a candidata, no mesmo dia da ligação, Kemp foi até seu comitê, como mais três pessoas, porém era o único alterado.  

“O autor chegou ao comitê alterado e chamando a vítima de cínica. Além disso, no local haviam várias pessoas presentes  e todos pediam que ele fosse embora, mas o autor insistiu em fazer com que a vítima retratasse de tê-lo chamado de demagogo no intuito de pressioná-la a se retratar no grupo”, denuncia em outro trecho.  

Além disso, Cânepa afirma que o candidato a prefeito ainda teria pegado com força no seu braço, porém as lesões não deixaram marca. 

“Os fatos duraram cerca de 40 minutos e foi tudo gravado por uma pessoa integrante da reunião. A vítima apresentou um Pen Drive e cópias do print das mensagens enviadas”, finalizou Cânepa em depoimento.  

Leia abaixo entrevista do Correio do Estado com a candidata.

Tenha acesso a conteúdos exclusivos aprofundando as notícias