Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

NOVO PARTIDO

Aliança pelo Brasil precisa de mais 60 filiados no Estado

Grupo quer coletar ao todo 1,4 mil assinaturas em Mato Grosso do Sul
10/02/2020 17:38 - Yarima Mecchi


 

A agremiação que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pretende criar, Aliança Pelo Brasil (APB), precisa de mais 60 assinaturas para conseguir o necessário em Mato Grosso do Sul, de acordo com o deputado Luiz Ovando (PSL), que está organizando a militância no Estado.

Segundo o deputado, o partido precisa de ao menos 1490 fichas de filiação no Estado. Em todo Brasil é necessário que sejam registradas em cartórios 500 mil assinaturas para fundar o novo partido. “Estamos quase conseguindo, precisamos entorno de 50-60 assinaturas. Está correndo tudo bem”, disse Luiz Ovando.

De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no dia 4 de abril – seis meses antes do pleito para escolha de prefeitos e vereadores – esgota o prazo para que novas legendas sejam registradas na Justiça Eleitoral a tempo de lançarem candidatos próprios às eleições. Além disso, até o dia 4 de abril, aqueles que desejam concorrer na eleição devem ter domicílio eleitoral na cidade que desejam concorrer e estar com a filiação aprovada pelo partido.

Parlamentares aguardam a criação do novo partido para conseguirem concorrer as eleições de outubro. Em Mato Grosso do Sul o deputado estadual Coronel David (PSL) é o nome favorito de Bolsonaro para concorrer a prefeitura de Campo Grande.

Os registros de candidaturas devem ser protocolados na Justiça Eleitoral, via internet, até as 23h59 do dia 14 de agosto. Por meio físico, os requerimentos devem ser protocolados até as 19h do dia 15.

Caso os partidos políticos não tenham apresentado, dentro desses prazos, o requerimento de registro de candidatos escolhidos em convenção, os próprios candidatos poderão fazer, pessoalmente, até o dia 20 de agosto.O primeiro turno de votação acontecerá no dia 4 de outubro.

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.