Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

BRASÍLIA

Após 20 dias, Regina Duarte é exonerada da Secretaria Especial de Cultura

Ator é o principal cotado para o cargo
10/06/2020 09:46 - Da Redação


Após 20 dias do anúncio da saída, Regina Duarte foi oficialmente exonerada da Secretaria Especial de Cultura. O decreto foi publicado na edição desta quarta-feira (10) do Diário Oficial da União (DOU).

Em 20 de maio, a atriz se reuniu com o presidente da República, Jair Bolsonaro, para definir um “tom de saída honroso”. Ela alegou motivos pessoais para deixar o cargo.

“Regina Duarte relatou que sente falta de sua família, mas para que ela possa continuar contribuindo com o Governo e a Cultura Brasileira assumirá, em alguns dias, a Cinemateca em SP. Nos próximos dias, durante a transição, será mostrado o trabalho já realizado nos últimos 60 dias”, publicou o presidente na época.

Apesar da promessa, a nomeação para a Cinemateca Brasileira não ocorreu. Administrada pela Fundação Roquette Pinto, o órgão vive a ameaça de extinção após o fim do contrato, antecipado no ano passado. Com essa situação, essa indicação já foi descartada.

Segundo o UOL, o governo não pretende deixar Regina sair, cogitando nomeá-la para um cargo de Direção e Assessoramento Superior (DAS), com salário de cerca de R$ 15 mil – possivelmente no Ministério do Turismo. Para a secretaria de Cultura, o único nome cotado é o do ator e apresentador Mário Frias.

 
 

Felpuda


Lideranças de alguns partidos estão fazendo esforço da-que-les para fechar chapa com o número exigido por lei de 30% do total de vagas para as mulheres. Uma dessas legendas, por exemplo, tenta mostrar a “felicidade” das suas pré-candidatas, mas teme o fracasso, tendo em vista que o “chefe maior” é aquele que já mandou mulheres calarem a boca e disse também que a importância da sua então esposa na campanha eleitoral era porque apenas “dormia com ele”. Ô louco!