Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

COVID-19

Após acusação de Bolsonaro, Mandetta questiona responsabilidade por mortes

Ex-ministro postou mensagem em seu perfil no Twitter
12/06/2020 16:38 - Yarima Mecchi


Os ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS), questionou em sua conta no Twitter quem será o responsável pelas vida perdidas pelo novo coronavírus (Covid-19). A publicação na tarde desta sexta-feira (12) vem após o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido) dizer na live de ontem que os números de casos e mortes por conta da doença eram inflados na gestão do subordinado.  

Durante sua transmissão ao vivo semanal na rede social Facebook, Jair Bolsonaro, afirmou que o ex-ministro da Saúde apresentou dados irreais da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.  “Não vou falar do [Nelson] Teich, porque ele ficou pouco tempo no Ministério. Ficou um mês. Mas, levando em conta o ministro anterior [Mandetta], esses números eram fictícios. Eram fictícios”, comentou.

Ele também ironizou as recomendações do sul-mato-grossense sobre isolamento social. “E ele [Mandetta] tava todo vendendo o peixe: 'Fique em casa, não saia, a curva, ciência, foco... foco na OMS'. Olha aí a OMS [Organização Mundial de Saúde]. Olha o vexame da OMS”, afirmou.

Em resposta a fala do presidente, Mandetta questionou se ainda estavam querendo maquiar os dados e recomendou cuidado. “Quantos dos 800.000 casos confirmados e das 41.000 vidas perdidas a atitude tola foi a responsável? Realidade Inflada ? Ainda querendo maquiar? Cuidado. A morte está na espreita e na conta dos incautos. Reflita e reze. Fique com João 8:32 . Não cite. Pratique!”, disse o ex-ministro citando uma parte da bíblia que diz “e conhecereis a verdade, e a verdade vos tornará livres”.

 

Felpuda


Ex-cabecinha coroada anda dizendo por aí ser o responsável por vários projetos para Campo Grande, executados posteriormente por sucessor. 

Ao fim de seus comentários, faz alerta para que o eleitor analise atentamente de como surgiram tais obras e arremata afirmando que não foi “como pó mágico de alguma boa fada madrinha. 

Houve muito suor nos corredores de Brasília”. Então, tá!...