Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ELEIÇÕES

Após visita de Puccinelli, aliada de Bernal vai para o MDB

Dharleng Campos era filiada ao PP, do ex-prefeito polêmico
03/03/2020 10:16 - Daiany Albuquerque, Natalia Yahn


 

Visita a Câmara Municipal de Campo Grande, por um grupo de líderes do Movimento Democrático Brasileiro (MDB), entre eles o ex-governador Andé Puccinelli, já rendeu frutos.  

A vereadora Dharleng Campos até agora filiada ao PP e uma das principais aliadas do ex-prefeito Alcides Bernal, vai deixar os progressistas para se juntar ao grupo político que já foi o mais poderoso de Mato Grosso do Sul. Atualmente uma das principais representantes do partido no Estado, em atividade, é a senadora Simone Tebet.

A visita aos vereadores da Capital foi anunciada ontem a noite, com ares de “vem novidade por aí”. Antes do encontro, o presidente municipal da sigla, Ulisses Rocha, não quis confirmar um possível ato de filiação. O que acabou se concretizando com muitos sorrisos e apertos de mãos.  

Dharleng posou para as fotos ao lado de Puccinelli e também do ex-deputado Júnior Mochi - presidente estadual do partido -, Márcio Fernandes - pré-candidato a prefeito do MDB - e Eduardo Rocha - também deputado estadual e marido de Simone Tebet. Foi ele quem articulou a mudança da vereadora do PP, por onde foi eleita ao primeiro mandato com 2.591 votos, em 2016.

“Fico lisonjeada com o convite. No mês da mulher e com um convite de peso como esse, com a nossa rainha Simone Tebet em destaque, então orgulhosamente eu aceito”, disse a vereadora.

 

Felpuda


Lideranças de alguns partidos estão fazendo esforço da-que-les para fechar chapa com o número exigido por lei de 30% do total de vagas para as mulheres. Uma dessas legendas, por exemplo, tenta mostrar a “felicidade” das suas pré-candidatas, mas teme o fracasso, tendo em vista que o “chefe maior” é aquele que já mandou mulheres calarem a boca e disse também que a importância da sua então esposa na campanha eleitoral era porque apenas “dormia com ele”. Ô louco!