Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

IMPUGNAÇÃO

Com candidatura indeferida nas vésperas da eleição, Harfouche ainda não recorreu ao TSE

Promotor de Justiça aposentado alega ser vítima de julgamento político
13/11/2020 10:31 - Glaucea Vaccari


Às vésperas da eleição e com a candidatura indeferida pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE/MS), o procurador de Justiça licenciado Sérgio Harfouche (Avante) ainda não recorreu ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para concorrer à Prefeitura de Campo Grande. 

A candidatura de Harfouche foi indeferida porque a Justiça Eleitoral entendeu ele deveria ter deixado o Ministério Público de Mato Grosso do Sul ou se aposentado para concorrer a cargo público, e não apenas se licenciado. Ele recorreu, mas por maioria de votos, o recurso foi negado e a candidatura mantida indeferida.

Após a decisão do Pleno, o promotor licenciado afirmou, em coletiva de imprensa, que o julgamento é político, atacou a imprensa e criticou os adversários, não comentando sobre a situação que motivou o indeferimento.

Mesmo se dizendo vítima de "métodos escusos" usados pelos adversários, o procurador ainda não apresentou recurso ao TSE contra a impugnação.

Assessoria de imprensa de Harfouche disse ao Correio do Estado que o recurso deve ser impetrado ainda hoje no TSE. 

Defesa usa como alegação para o deferimento da candidatura decisão de 2018 do TRE, que liberou para que ele concorresse ao Senado, mesmo apenas licenciado do MP.

"Mesmo respeitando o TRE, eu acredito que fui vítima de um julgamento político, pois temos precedentes de uma decisão favorável. Todos os magistrados que votaram nesse julgamento, pelo jeito, já tinham uma ideia formatada. Agora irei lutar até a última instância para que meu direito de disputar às eleições seja garantido”, lamentou.

Essa tese da candidatura de 2018 chegou a ser defendida pelo advogado Vinícius Monteiro Paiva no recurso, mas maioria dos juízes não acatou a tese, com o relator do processo, juiz Juliano Tannus, afirmando que não se basear decisão de agora na de 2018, para não criar "efeito vinculante, sob pena de colocar em xeque o princípio do livre convencimentos dos magistrados que compõe a Corte”.

Com o indeferimento da candidatura do promotor licenciado pelo TRE e sem decisão do TSE, já que não houve recurso até então, os votos conquistados por ele nas urnas não serão considerados válidos

Pesquisa IPR/Correio do Estado, divulgada nesta sexta-feira (13) aponta Harfouche como segundo colocado na disputa eleitoral, com 10,92% das intenções de votos válidos. O atual prefeito, Marcos Trad (PSD) tem 61,44% das intenções de voto.

 
 

Felpuda


Outrora bons de votos – faziam adversários temerem o confronto nas urnas –, agora, por mais que tentem, alguns políticos não conseguem, nem de longe, alcançar patamar de outros tempos e voltar ao que eram. 

O pior é que, a cada disputa, a preferência popular só vem diminuindo. Neste ano, a eleição municipal demonstrou que muitos já estão com prazo de validade vencido e rótulo gasto.

E faz tempo, hein?!