Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ELEIÇÕES MUNICIPAIS

Assessora do governo e ex-subsecretária, Giovana Corrêa é exonerada para disputar prefeitura de Maracaju

Ex-primeira-dama do município, ela vai tentar suceder Maurílio Azambuja, primo do governador
04/06/2020 12:15 - Adriel Mattos


A assessora do Governo de Mato Grosso do Sul e ex-subsecretária de Políticas Públicas para Mulheres, Giovana Corrêa Vargas (DEM), foi exonerada do cargo. A resolução foi publicada na edição desta quinta-feira (4) do Diário Oficial Eletrônico (DOE).

Ex-primeira-dama de Maracaju, Giovana ocupou a subsecretaria até o ano passado e deixou o cargo em comissão de Direção Superior e Assessoramento para disputar novamente a prefeitura da cidade no sul do Estado. Em publicação na rede social Instagram agradeceu colegas e escolheu fotos ao lado do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), do vice Murilo Zauith (DEM) e do secretário de estado de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Riedel.

“Saio feliz, realizada e com mais uma experiência para agregar ao projeto que pretendo realizar na minha querida Maracaju”, escreveu.

Giovana é esposa do ex-prefeito de Maracaju Celso Vargas (Solidariedade). Vargas derrotou o primo do governador, Maurílio Azambuja (PSDB), que disputou a reeleição em 2008. Na última eleição, em 2016, a ex-primeira-dama tentou suceder Maurílio, mas perdeu a disputa.

O primo do governador sucedeu o tucano em 2004, foi derrotado por Celso Vargas em 2008, mas conseguiu retomar o cargo de prefeito em 2012, sendo reeleito em 2016.

 
 

Felpuda


Alguns pré-candidatos que estão de olho em uma cadeira de vereador vêm apostando apenas nas redes sociais, esperançosos na conquistados votos suficientes para se elegerem. A maioria pede apoio financeiro para continuar mantendo suas respectivas páginas, frisando que não aceita dinheiro público ou de político, fazendo com que alguns se lembrem daquela famosa marchinha de carnaval: “Ei, você aí, me dá um dinheiro aí, me dá um dinheiro aí...”. Como diria vovó: “Essa gente perdeu o rumo e o prumo”.