Clique aqui e veja as últimas notícias!

CORONAVÍRUS

"O País precisa de bom senso, serenidade e equilíbrio", diz Azambuja sobre pronunciamento de Bolsonaro

Governador comentou pronunciamento do presidente da República, e disse que vai manter decretos
25/03/2020 11:43 - Eduardo Miranda, Estadão Conteúdo


O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) comentou na manhã desta quarta-feira (25) o pronunciamento do presidente da República, Jair Bolsonaro, que comparou os efeitos do novo coronavírus a uma gripe, e criticou ações de prefeitos e governadores, como a suspensão das aulas nas escolas. Azambuja está entre os governadores que impôs medidas restritivas. “O país precisa de bom senso, serenidade e equilibro nesta hora extrema, difícil!, exclamou o governador.

“A hora existe alta responsabilidade dos governos, das empresa e dos cidadãos”, acrescentou o governador em nota. “Ninguém está imune! Para superar essa tragédia, todos temos de ser parte da solução”, afirmou o chefe do Executivo de MS.  

Os decretos de Mato Grosso do Sul, como bloqueio sanitário, suspensão de aulas nas escolas, restrição de trabalho nas repartições públicas, serão mantidos.  

Mais cedo, o prefeito de Campo Grande, Marcos Trad (PSD), também reafirmou que manterá os decretos.  

O presidente da Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul, Pedro Caravina, também informou que manterá os decretos. “Salvar vidas é mais importante nesse momento”, disse o prefeito de Ponta Porã, Hélio Peluffo Filho, em entrevista à TV Morena.  

“Bolsonaro foi infeliz. Todos os gestoes estão preocupados, vai permanecer como protocolamos”, disse Ângelo Guerreiro, prefeito de Três Lagoas. Todas estas cidades impuseram restrições ao comércio, suspenderam aulas e têm toque de recolher.