Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

DECLARAÇÂO

Bolsonaro defende volta às aulas e diz que nenhuma criança morreu de Covid-19 no país

“Tem que enfrentar a chuva, tem que enfrentar o vírus”, afirmou o presidente
17/04/2020 09:11 - Ricardo Campos Jr


 

Em declaração no Palácio da Alvorada, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) defendeu o retorno das aulas em todo o país. “Nós não temos nenhuma notícia de alguém abaixo de dez anos que contraiu o vírus e foi a óbito”, afirmou o chefe do Executivo Federal logo após demitir o ministro Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS).

O gestor voltou a defender equilíbrio entre o combate à pandemia e a economia, além do uso da cloroquina no tratamento dos pacientes. “Tem que enfrentar a chuva, tem que enfrentar o vírus”, afirmou o presidente, segundo o portal R7.

Bolsonaro afirmou que chegou a preparar decreto que classificava como essencial todas as atividades que “fazem com que leve um prato de comida para casa. Depois que vi que seria bombardeado, talvez o transforme em projeto de lei e mande para a Câmara”, afirmou.

O presidente criticou o fechamento do comércio adotado por vários governadores e disse que os Estados agora terão que lidar com perdas fiscais, especialmente com ICMS. “Quem vai pagar essa conta?”, afirma.

Tramita no Congresso Nacional uma medida que pretende justamente transferir à União os prejuízos do isolamento social, de modo que o Governo Federal compensaria as perdas.

O novo ministro, o oncologista Nelson Teich, terá que lidar com esses dois problemas: a Covid-19 e o desemprego que, segundo ele, ainda está “um pouco invisível”.

(Com informações do Portal R7)

 

Felpuda


Pré-candidato a prefeito de Campo Grande divulgou vídeo em que político conhecido Brasil afora anuncia apoio às suas pretensões. O problema é que o tal líder já andou sendo denunciado por mal feitos em sua trajetória, sem contar que o pai do dito-cujo teve de renunciar ao cargo de ministro por ter ligações nebulosas com empresa de agrotóxico. Depois do advento da internet, essa coisa de o povo ter memória curta hoje não passa de coisa “da era pré-histórica”.