Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

TROCA DE ACUSAÇÕES

Bolsonaro diz que Moro concordou com exoneração, desde que fosse indicado ao STF

Presidente rebateu denúncias de Moro e acusou ex-ministro de informações falsas
24/04/2020 16:45 - Glaucea Vaccari


Presidente Jair Bolsonaro, em pronunciamento sobre a demissão de Sérgio Moro, do  Ministério da Justiça e Segurança Pública, rebateu acusações feitas pelo agora ex-ministro, também acusando o agora ex-ministro de concordar com a saída de Maurício Valeixo do comando da Polícia Federal desde que fosse indicado ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Em discuro para anunciar a demissão, Moro acusou Bolsonaro de tentar interferir politicamente no comando da Polícia Federal para obter acesso a informações sigilosas e relatórios de inteligência. “O presidente me quer fora do cargo”, disse Moro, alegando que a saída foi motivada pela decisão de Bolsonaro de exonerar Valeiro do cargo de diretor-feral da PF.

O ex-ministro afirmou ainda que o presidente publicou no Diário Oficial da União informações falsas sobre o processo de demissão "a pedido" de Valeixo. Moro negou ter assinado com o presidente a portaria de exoneração de Valeixo, seu homem de confiança, que por sua vez, garantiu o ministro, não pediu para deixar o cargo.  

Em pronunciamento, Bolsonaro disse que Valeixo havia manifestado desejo de deixar o cargo e a substituição teria sido conversada com Moro, com objetivo de definir um nome para o comando da instituição e que, após a decisão, Valeixo teria foi informado sobre a exoneração.

“Não são verdadeiras asa insuinuções de que eu desejaria saber sobre as investigações em andamento”, disse Bolsonaro, acrescentando que apenas pediu informações nos casos de Adélio Bispo, o caso do porteiro e o filho mais novo, que foram apontados como envolvidos no caso Marielle.  

Ainda conforme Bolsonaro, Moro concordou com a exoneração, mas impôs como condição que ela só fosse concretizada em novembro, após indicação dele ao STF. 

 

Felpuda


Entre sussurros, nos bastidores políticos mais fechados, os comentários são que história apregoada por aí teria sido construída para encobrir o que realmente foi engendrado em conversa que resultou em negociata. 

O script foi na base do “você finge que é assim, e nós fingimos que acreditamos”. 

Batido o martelo, a encenação prosseguiu e, conforme o combinado, deverão ser apresentados novos episódios.

Ah, o poder!