Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

"NÃO PRETENDO, NÃO QUER DIZER QUE NÃO VOU"

Bolsonaro diz que não vai apoiar candidatos nas eleições municipais de 2020

Presidente destacou que pode apoiar vereadores, mas não pretende se envolver na prefeitura
19/08/2020 13:14 - Gabrielle Tavares


O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) alegou na manhã desta quarta-feira (19) que não deve apoiar nenhum candidato nas eleições municipais deste ano. “Não pretendo, não quer dizer que eu não vou apoiar, mas não pretendo”, ressaltou o presidente.

A informação foi anunciada em entrevista dada ao programa Boca do Povo, da Rádio Difusora Pantanal.  

“Pretendo ficar fora das eleições municipais, não devo apoiar nenhum candidato a prefeito, talvez um ou outro vereador pelo apreço que tenho a essa categoria”, disse Bolsonaro.

Em Campo Grande, o candidato Vinícius Siqueira, que pertence ao PSL, não vai poder contar com o apoio do ex-companheiro de partido.  

O então partido de Bolsonaro em 2018, quando ainda não tinha se tornado presidente, conseguiu colocar dois deputados na Assembleia Legislativa, Renan Contar e Carlos Alberto David, dois deputados na Câmara Federal, Loester Carlos e Luiz Ovando, além da senadora Soraya Thronicke.

Conflito com Mandetta

Na entrevista o presidente comentou ainda sobre o conflito com o campo-grandense Luiz Henrique Mandetta (Democratas), ex-ministro da Saúde, apoiador da candidatura de Bolsonaro em 2018.

“O protocolo era de que só podia usar a hidroxicloroquina em pacientes com estado grave, aí eu falei para ele que era para ele tirar isso aí, porque é o médico que decide, mas ele foi contra”, comentou.  

Bolsonaro contou que pediu para Mandetta apresentar alternativas a utilização do medicamento, mas foi desfavorável a sugestão do ex-ministro de que as pessoas procurassem um hospital para tratar os sintomas da doença.  

“Ai eu falei , mas a pessoa está morrendo, vai adiantar ir para o hospital?”, apontou.

Ele lembrou ainda que utilizou o medicamento e que funcionou com ele e com seus amigos. “Então fica aí exigido a receita médica para tomar a hidroxicloroquina”, finalizou.

 
 

Felpuda


Figurinha está trabalhando intensamente para tentar eleger a esposa como prefeita de município do interior.

Até aí, uma iniciativa elogiável. Uns e outros, porém, têm dito por aí que seria de bom tom ele não ensinar a ela, caso seja eleita, como tentar fraudar folha de frequência de servidores. 

Afinal, assim como ele foi flagrado em conversa a respeito com outro colega, não seria nada recomendável e poderia trazer sérias consequências. Só!