Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CORONAVÍRUS

Câmara terá sessões sem público e imprensa, mas com transmissão na internet

Medida vale a partir desta terça-feira, quando vereadores votam um projeto de lei
16/03/2020 19:19 - Glaucea Vaccari


 

Sessões da Câmara Municipal de Campo Grande serão realizadas sem a presença de público ou imprensa a partir desta terça-feira (17), como medida para conter a disseminação do coronavírus. Conforme o presidente da Casa de Leis, Professor João Rocha (PSDB), transmissões serão feitas ao vivo na internet.

“Não podemos brincar, essa é uma doença grave e como agentes públicos temos que agir com seriedade e agilidade, para ajudar a proteger a população, para que os campo-grandenses não sofram. Não podemos ser irresponsáveis, nossa Casa sempre recebe muitos cidadãos, nosso trabalho não vai parar, só vamos reduzir a presença do público, que poderá acompanhar e fiscalizar nosso trabalho de forma digital, por meio da Internet, com as transmissões ao vivo das sessões”, afirmou o vereador.

Sessões solenes são realizadas todas as terças e quinta-feiras. Nesta terça-feira (17), apenas um projeto está pautado para discussão e votação, sendo o Projeto de Lei Complementar n. 669/19, que institui o Programa Municipal de Incentivo e Apoio às Redes de Desenvolvimento Socioeconômico (Pro-Redes), de autoria do Executivo Municipal. 

Projeto tem a finalidade de impulsionar o desenvolvimento econômico, social, turístico, cultural e tecnológico do município. As redes de desenvolvimento socioeconômico – Redes são arranjos produtivos setoriais, situados no município integrados por empresas de grande, médio, pequeno e micro porte, do mesmo setor econômico, conglomerados em regime de associativismo, segundo estrutura organizacional própria, desse modo terão incentivos fiscais, por até 05 (cinco) anos, e/ou concessão de direito real de uso de áreas por até 10 anos. Porém as empresas que optar por não participarem das redes ou não se enquadrarem em nenhuma delas poderão receber apenas incentivos fiscais. 

A proposta deve substituir o Prodes, programa de incentivo concedido a empresas que já estava em vigor na Capital desde 1999.

Além de proibir público, também foram suspensas a realização de audiências públicas, sessões solenes e eventos externos por meio da cedência do plenário. 

A carga horária dos funcionários será reduzida para quatro horas diárias, com dois turnos de trabalho, das 8h às 12h e das 13h às 17h. No intervalo intrajornadas, serão tomadas medidas sanitárias, como limpeza de maçanetas, corrimões, banheiros, entre outros.

Álcool em gel será disponibilizado para todos os funcionários e os que apresentarem sintomas devem comunicar a chefia imediata, que poderá afastá-los do serviço. 

Também consta em Ato da Mesa Diretora que o ponto eletrônico (biométrico) será suspenso por tempo indeterminado, para evitar possível contágio. No período, será adotado o registro de ponto em folha.

 

Felpuda


Embora embalada por vários “ex”, pré-candidatura a prefeito de esforçada figura não deslancha. É claro que ninguém ousa falar em voz alta que o apoio, em vez de alavancar os índices com o eleitorado, está é puxando para baixo. Uns dizem que o título do filme “Eu Sei O Que Vocês Fizeram no Verão Passado” retrata bem a situação. Outros complementam: “... na primavera, no outono, no inverno...”. Como diria vovó: “Aqui você planta, aqui você colhe!”.