Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

ELEIÇÕES 2020

Após ter caminhada proibida, candidato denuncia adversário por 'aglomeração' em evento

Ato; promovido pelo candidato a prefeito de Maracaju, Marcos Calderan; contou com a presença da ministra Tereza Cristina
01/11/2020 15:30 - Flávio Veras


Após ter uma caminhada de campanha proibida pelo Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE-MS), o candidato a prefeito de Maracaju,  Lenilso Carvalho (MDB), denunciou seu adversário nas urnas, Marcos Calderan (PSDB), de promover um ato de campanha que pode ter gerado aglomeração em um ambiente fechado.  

A denúncia foi feito nas redes sociais de Carvalho. O evento em questão foi realizado No Centro de Tradições Gaúchas (CTG) e contou coma presença da ministra do Meio Ambiente e Abastecimento, Tereza Cristina (DEM). Ainda conforme o candidato, Calderan teria reunido 800 pessoas no local.  

Na postagem, Carvalho questiona sobre a suspensão da caminhada. “Fizeram o evento, em local fechado, e deu aglomeração. Se tivessem cancelado os dois, a população ia entender. Mas cancelaram só o nosso. As pessoas ficaram revoltadas”, disse.

Em outro trecho, ele afirmou que a coligação não iria recorrer da decisão judicial. “O pedido de cancelamento do nosso evento partiu da coligação Mais Desenvolvimento, Mais Empregos e Mais Futuro, conforme documento abaixo. Lamentamos mas acatamos a decisão judicia”, lamentoul.

Assim como Carvalho, Calderan é alvo de uma denuncia feita pelo Ministério Público Eleitoral contra outra caminhada que seria realizada neste domingo (1º). À exemplo da decisão anterior, o juiz da 16ª Zona Eleitoral de Maracaju, Marco Antônio Montagnana Morais, proibiu o ato.

Em nota nas redes sociais, o tucano disse que aplaude a decisão e reclamou do que chamou de “ataques” do adversário nas urnas.

Outro lado

Sobre o evento, o psdebista reclamou sobre o ataque que ele sofreu do adversário e diz que aplaude a decisão judicial de cancelamento do ato nas ruas.

“O que está em jogo é a saúde de nossa população, sendo que a medida visa unicamente garantir a proteção de todos contra o coronavírus (Covid-19). Já do lado de lá, pelo que vimos nas redes sociais, eles apenas lamentaram o cancelamento de caminhadas e carretas, querendo nos imputar a responsabilidade, sem dar a mínima para o real motivo que levou a Justiça a tomar tal decisão, visando combater a pandemia”, finalizou.

 
 

Felpuda


Embora tenha manifestação de que não haverá mudanças na administração municipal que se iniciará dia 1º de janeiro, o que se ouve por aí é que a realidade não seria bem assim.

Alguns setores deverão passar por alterações, como forma de se azeitar engrenagens que estariam deixando a desejar. 

O Diário Oficial, a partir daquela data, deverá ser a publicação mais lida a cada manhã.