Clique aqui e veja as últimas notícias!

CAMPO GRANDE

Erradicação da dengue, bolsa família municipal e criar TV pública estão entre as promessas

Só três candidatos têm propostas mais objetivas; restante preferiu não se comprometer e apresentou planos genéricos
09/10/2020 09:30 - Flávio Veras


O Correio do Estado analisou 15 programas de governo dos 16 candidatos a prefeito de Campo Grande. A maioria deles preferiu não firmar compromissos específicos em seus documentos, como detalhar obras e ou sugerir programas de saúde ou educação bem delineados. Mas também houve candidatos que prometeram erradicar a dengue, criar rádio e televisão municipais, implantar uma biblioteca digital e uma delegacia para o público LGBTQI+.

Em época de redes sociais, em que a população fiscaliza mais as promessas de campanha, os compromissos foram mais genéricos. Em vez de especificar a escola que será reformada, preferiram afirmar que vão valorizar a educação. Cris Duarte (Psol), Dagoberto Nogueira Filho (PDT) e Sidneia Tobias (Podemos) se arriscaram em fazer propostas mais específicas. Somente o vereador Vinícius Siqueira (PSL), que vive um imbróglio jurídico (leia reportagem nesta página) com seu correligionário, o deputado federal Loester Trutis (PSL), ainda não apresentou plano.

Os nomes foram separados por ordem alfabética para não beneficiar ou prejudicar qualquer um dos candidatos analisados. Confira o resumo das propostas:

 

CRIS DUARTE (PSOL)

Número de páginas: 38

Resumo: O plano de governo da candidata se apresenta como uma plataforma de ações para garantir a participação popular, promover a justiça socioambiental e defender as liberdades daqueles que são oprimidos em razão de sua classe, gênero, raça, idade, sexualidade, religião, deficiência, geração ou cultura. São estabelecidos 17 grandes objetivos.

Ela propõe a criação de uma Renda Básica de Campo Grande, uma espécie de Bolsa Família municipal.  

 

DAGOBERTO (PDT)

Número de páginas: 17

Resumo: O plano de governo está estruturado em 12 pontos. Apresenta propostas para as áreas da educação, saúde, cultura, transporte, infraestrutura, minorias, segurança pública, agricultura, mulheres, esporte, meio ambiente e turismo.

No documento consta a criação de emissoras de rádio e TV municipais, parceria com universidades públicas para avaliação seriada para ingresso nas instituições, capoeira como disciplina em escolas municipais, projeto para implantação do VLT (veículo leve sobre trilhos), delegacias específicas para atendimento LGBTQI+, entre outras propostas.