Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

BASTIDORES

Chapa Rose Modesto, João Rocha pode ser adversária do prefeito Marcos Trad

Segundo especulações o encontro teria ocorrido em uma padaria da capital para definir os próximos passos da campanha
06/09/2020 10:40 - Da Redação


A possibilidade de o PSDB lançar candidato a prefeito em Campo Grande não está totalmente descartada, mesmo tendo o partido indicado o nome do vereador João Rocha, presidente da Câmara Municipal de Campo Grande, para compor a chapa como vice de Marcos Trad, do PSD, que tentará a reeleição. 

Desde quinta-feira(3), o clima está tenso no ninho tucano e o atual quadro político poderá não ser o mesmo no que se refere às candidaturas majoritárias. 

Segundo informações de bastidores, o partido interessado na coligação já teria sido avisado que a aliança não será formalizada. Isso acontecendo, a deputada federal, Rose Modesto seria cabeça de chapa, tendo João Rocha como vice.

 “Da parte do PSD não existe nada decidido sobre a coligação com os tucanos’’, afirmou uma fonte, integrante do partido do prefeito. “A escolha do vice vai ocorrer no último minuto do segundo tempo e, assim mesmo, pode se usar o VAR (sigla em inglês de Vídeo Assistant Referee)” . 

A referência na área de esporte foi feita porque o sistema tem como objetivo ajudar árbitro central, no campo, a tomar decisão em lances considerados duvidosos. 

No jogo político desta campanha, sabe-se que existem pesquisas qualitativas destinadas ao consumo interno do PSD, que traduzem a realidade sobre a preferência eleitoral.

PSDB 

Reunião do PSDB na quinta-feira (4) não só expôs o racha interno como também havia praticamente unanimidade de que a aliança não seria formalizada. 

Alguns tucanos afirmaram que o prefeito Marcos Trad nunca mostrou um gesto mais firme de que faria a coligação com o PSDB, isto é, aceitando dar a vaga de vice-prefeito na sua chapa para a busca da reeleição. 

Em encontro anterior, a cúpula do PSDB decidiu precaver-se e preparou lista com quatro nomes para eventual disputa pela prefeitura: Rose Modesto e Beto Pereira, ambos com mandatos na Câmara Federal, o vereador João Rocha e o ex-secretário de Administração e secretário especial de Articula Política, Carlos Alberto de Assis.

A deputada federal, Rose Modesto nunca escondeu seu descontentamento de o partido não lançar candidato a prefeito e, inclusive, discutia internamente para viabilizar seu nome para o enfrentamento neste ano. 

Nas eleições de 2016, ela e Marcos Trad disputaram o segundo turno, mas a deputada – à época vice-governadora – foi batida nas urnas. 

Apesar da aproximação de Trad com o governador Reinaldo Azambuja e compromisso deste último com o primeiro devido ao apoio que recebeu para reeleição ao Governo, a tucana já havia declarado que, em caso de aliança, não subiria no palanque do seu ex-adversário.

Na sexta-feira (4), em seu perfil no Facebook, Rose Modesto postou uma foto dela ao lado de João Rocha e a mensagem: ‘’Mais uma semana de muito trabalho! Conversei nesta sexta com meu amigo Professor João Rocha” sobre Campo Grande. Boas perspectivas!”. 

Nos bastidores, entendeu-se como um aviso ao prefeito Marcos Trad de que o ninho está refeito e praticamente foi feita a apresentação da chapa pura dos tucanos. 

Afinal, também na política prevalece o dito popular de que ‘’para quem sabe ler, um pingo é letra”.

Foto: Reprodução/Facebook

 
 

Felpuda


Questão de família acabou descambando para o lado da política, e a confusão já é do conhecimento público. 

A queda de braço tem como foco a troca de apoio político que, de um, foi para outro. Sem contar as ameaças de denúncia da figura central do imbróglio. 

A continuar assim, há quem diga que nenhum dos dois candidatos a vereador envolvidos na história conseguirá ser eleito. Barraco é pouco!