Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

NAVIRAÍ

Após morte de Onevan, vice Márcio Araguaia deve ser indicado como substituto nas eleições

Matos, que era candidato a prefeitura de Naviraí, morreu na tarde desta sexta (13), dois dia antes das eleições municipais
13/11/2020 17:47 - Flávio Veras


Após a morte do deputado estadual e candidato a prefeito de Naviraí, Onevan de Matos (PSDB), quem deverá assumir a cabeça de chapa da coligação “Saúde e Desenvolvimento é Nossa Meta”, composta pelos tucanos e Partido Trabalhista Brasilero, é o candidato a vice do grupo político, Márcio André “Araguaia”. A informação foi repassada pela coligação há pouco.  

Segundo a coligação, a morte de Matos ocorreu após ele ser submetido a uma cirurgia de cateterismo, ou seja, desentupimento de veias. Porém, durante o procedimento, às 15h10, ele teve um infarto e acabou morrendo.  

Apesar de André assumir a cabeça chapa, o nome de Mattos ainda continuará nas urnas, pois não há tempo hábil para a mudança. Além disso, todos os aparelhos foram lacrados e encaminhados às Zonas Eleitorais do Estado pela Justiça Eleitoral.  

"A campanha é secundária nesse momento. Mas com certeza queremos realizar o sonho dele, de voltar à prefeitura e colocar em prática todo o plano de Governo dele", comentou Márcio André em nota.

O corpo ainda está em São Paulo e deve ser transportado para velório e sepultamento em Naviraí.

Notas de pesar

A política de Mato Grosso do Sul lamentou a morte do deputado estadual na tarde desta sexta. Por meio de nota, o Governo do Estado informou que o governador Reinaldo Azambuja decretou luto de três dias em Mato Grosso do Sul devido à morte do político.  

No texto, o governador afirmou que Onevan deu importante contribuição ao povo sul-mato-grossense durante os nove mandatos que exerceu como parlamentar estadual e como prefeito de Naviraí. “Perdemos um companheiro leal e uma liderança política incontestável. Registro aqui minha solidariedade à família e ao povo de Naviraí”, lamentou.

Já o presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (Alems), Paulos Correa (PSDB), publicou uma nota de pesar em suas redes sociais. No texto Correa afirmou que recebeu a notícia com extremo pesar a notícia do falecimento do amigo e colega de parlamento por tantos anos.  

“Mais uma vítima de um inimigo mundial que deixou esse 2020 mais triste. Onevan deixará um legado de paixão e trabalho por seu Estado, por sua gente, por sua família. Dos mistérios da vida, a morte está entre os maiores, e nos resta oferecer a amigos e familiares nossos mais sinceros pêsames. Levaremos o orgulho da amizade e as lembranças de um homem honrado que deixará uma marca de trabalho, amor e dedicação”, externou seu luto.

Também em nota à imprensa, PSDB de Mato Grosso do Sul, também a perda do político.  

“Com uma história que se iniciou em 1978, na política sul-mato-grossense, ao ser eleito como deputado estadual, Onevan, antes de ser político, era nosso amigo, parceiro, exemplo de pessoa, ser humano, caráter e de gestor. Onevan não deixa apenas sua família órfã, ele deixa amigos, admiradores e um ninho tucano triste por sua partida. Seu legado sempre será lembrado por todos nós. ”, diz o texto assinado pelo presidente estadual do PSDB, Sérgio de Paula.  

Com a morte de Matos, quem assume seu posto na Assembleia é a suplente a deputada estadual pelo PSDB, Mara Caseiro. A política também publicou em suas redes sociais um nota de pesar.  

“Com profundo pesar recebi a notícia do falecimento do deputado estadual e candidato a prefeito de Naviraí, Onevan de Matos.Durante dois mandatos na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, convivi de perto com o dinamismo e a força do deputado que, assim como eu, sempre lutou pelo desenvolvimento e progresso da região do Conesul do Estado. Sou testemunha a expectativa de toda a população naviraiense pelo retorno desse grande homem ao cargo de prefeito”, apontando que possivelmente Onevan seria eleito.

 

 
 

Felpuda


Esforços vêm sendo feitos por certos candidatos derrotados na tentativa de conseguir emplacar em cargos públicos comissionados alguns ex-integrantes das equipes de trabalho da campanha eleitoral.

A preocupação não seria, na realidade, com situação de dificuldades que essas pessoas enfrentariam a partir de agora, mas, sim, para livrarem-se de pagar pendências trabalhistas referentes ao período da disputa. Tem cada uma!