Clique aqui e veja as últimas notícias!

ELEIÇÕES MUNICIPAIS 2020

E se a urna falhar? Confira o que acontece em casos de imprevistos durante as eleições

Assim como qualquer outro aparelho eletrônico, as urnas podem apresentar falhas. Nesses casos, a Justiça Eleitoral possui protocolos para cada situação
14/11/2020 10:00 - Agência Brasil, Gabrielle Tavares


As eleições municipais de 2020 serão realizadas amanhã (15) e todas as urnas já estão programadas e distribuídas entre os locais de votação. É comum durante o período eleitoral o surgimento de dúvidas sobre a autenticidade das urnas eletrônicas.

Por esse motivo, o Correio do Estado preparou um guia explicando como ocorre a apuração dos votos e o que acontece em caso de falhas nas urnas.

A Justiça Eleitoral de Mato Grosso do Sul contará com 7.092 urnas eletrônicas, sendo 6.096 de seção e 824 de reserva. Em Campo Grande, são 1.911 urnas de votação e 67 de contingência, totalizando 1.978 urnas eletrônicas.

De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), falhas nas urnas estão suscetíveis de acontecer no momento de votação. Caso ocorra, protocolos do que deve ser feito já estão previstos em resolução.

Contudo, a substituição das urnas podem gerar inseguranças nos eleitores em relação à transferência dos votos já depositados para a nova urna, à possibilidade de um eleitor votar outra vez, ou ainda à existência de outros votos nessa nova urna.

O TSE explica que, ao contrário do que parece, há vários modelos de urnas por eleição. Elas são fabricadas levando-se em consideração um período de mais ou menos dez anos de uso.

Em Mato Grosso do Sul os aparelhos modelos 2006 e 2008 não serão utilizadas por motivos de segurança a partir desta eleição.

“Diante desse cenário, embora sejam adotados inúmeros procedimentos de testes e manutenções preventivas a fim de evitar a ocorrência de problemas durante a votação, a urna eletrônica, como qualquer outro dispositivo eletrônico, pode apresentar falhas no dia da eleição”, ressalta, em nota, o TSE.