Clique aqui e veja as últimas notícias!

BRASÍLIA

Novo critério de escolha de presidentes de estatais freou corrupção, diz Bolsonaro

Segundo o presidente, o novo método não levar em conta a "indicação de terceiros"
20/08/2020 22:00 - Estadão Conteúdo


O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (20) em transmissão ao vivo nas redes sociais, que o critério do seu governo para escolha de ministros e de presidentes de estatais e bancos públicos, segundo ele sem levar em conta a "indicação de terceiros", ajudou a frear a corrupção no País.

Acompanhado, neste momento da live pelo ministro da Controladoria-Geral da União (CGU), Wagner Rosário, o presidente sustentou que medidas de prevenção contra corrupção dariam a sensação de que "só existe combate à corrupção se vê a Polícia Federal fazendo operação às 6h da manhã". "Essas operações continuam existindo e, com certeza, outras virão até o fim do ano", completou.

A declaração remete à crise institucional do Executivo com o Supremo Tribunal Federal (STF) em torno do vídeo de reunião ministerial em 22 de abril, depois divulgado por ordem da Corte, sobre o qual existia a suspeita de que Bolsonaro aparecia cobrando de ministros poder de interferir sobre a PF.

Ao lado do presidente na live de hoje, o ministro da CGU apontou medidas adotadas pelo governo federal para fazer "filtro prévio" de nomeações a cargos na administração pública e a preservação da identidade de denunciantes, para dizer que Bolsonaro chega aos 20 meses de mandato "sem nenhum caso de corrupção".