Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

MESA DIRETORA

De olho na reeleição, vereadores querem presidência da Câmara

Pelo menos seis dos atuais integrantes do Legislativo municipal pensam na cadeira ocupada por João Rocha
08/06/2020 10:00 - Bruna Aquino, Yarima Mecchi


No último ano de mandato, ao menos seis dos 29 vereadores de Campo Grande pensam em ocupar a principal cadeira da mesa diretora do Legislativo municipal. Atualmente presidida pelo vereador João Rocha (PSDB), a Casa de Leis deve passar por mudanças em 2021, mas, na expectativa de reeleição, alguns parlamentares se interessam pelo posto.  

Rocha é cotado para compor a chapa do prefeito da Capital e candidato à reeleição, Marcos Trad. O tucano seria vice na disputa pelo Paço Municipal. Em entrevista ao Correio do Estado, o presidente já afirmou que, caso não represente o ninho na disputa para a administração da cidade, vai concorrer à reeleição como vereador.

O Correio do Estado falou com 13 dos 29 vereadores. João César Mattogrosso (PSDB), André Salineiro (Avante), Epaminondas Neto – Papy (Solidariedade), Carlão (PSB), Otávio Trad e Valdir Gomes, ambos do PSD, pretendem ocupar a cadeira de presidente. Quatro vereadores não têm essa pretensão: Cida Amaral (PSDB), Eduardo Cury (DEM), Chiquinho Telles (PSD) e Ayrton Araújo (PT).  

Outros três parlamentares afirmaram que estão focados na reeleição e só após o resultado do pleito devem pensar no assunto: Eduardo Romero (Rede), Wellington de Oliveira (PSDB) e Derlei de Oliveira – Cazuza (PP).

Presidente do PSDB municipal, Mattogrosso afirma que é natural buscar a liderança. “Soldado que não sonha ser coronel não serve para ser soldado, isso é uma questão de construção, sempre vou querer. Tem que ver a reeleição também, colocarei meu nome à disposição. Eu, com certeza, vou tentar”.  

Integrante da mesa diretora, Carlão destacou que está há cinco anos como primeiro-secretário e tem experiência para conduzir a Casa. “Tem a reeleição da Câmara, eu sou candidato, com certeza, eu vou montar a chapa. Se os colegas entenderam que é meu nome, eu vou disputar. O presidente da Câmara é um escravo do regimento, o regimento é o que ordena, a câmara é rica de pessoas concursadas, técnicos, mas estou preparado, estou bem perto da presidência. Sou bem cauteloso, eu sei lidar com o Executivo, sei do nosso papel, eu sei dirigir, mas eu acho que tem mais colegas que vão pleitear e aquele que tiver melhor preparado tenho certeza de que vai conduzir da melhor forma”, ressaltou.

Também de olho na cadeira de presidente, Papy alegou que tem se preparado individualmente para o posto e disse ser um político de diálogo. “Eu tenho 10 anos de experiência na Câmara, eu conheço bem o processo legislativo, tenho um grupo de trabalho e me sinto seguro, eu sou um político de diálogo e internamente me sinto preparado, farei um grande mandato se tiver a oportunidade”.

Sobrinho do prefeito, Otávio Trad ressaltou que neste ano há alguns obstáculos que necessitam do trabalho dos vereadores, como a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) e a campanha eleitoral, que deve ser diferente das anteriores. “Se eu for reeleito, dependendo da nova composição da Câmara, se for do entendimento de todos, eu posso, sim, enfrentar esse desafio”.

Ex-tucano, Salineiro não tem definição sobre seu rumo na política. Filiado ao Avante desde a janela partidária, o vereador pode compor a chapa do partido na disputa pela administração de Campo Grande, porém, caso tente a reeleição, não descarta a presidência.  

“Caso seja reeleito, colocarei meu nome à disposição para a presidência da Casa. Contudo, ainda não está definido se irei compor a chapa com o Harfouche, como pré-candidato a prefeito”, justificou citando o procurador de Justiça Sérgio Harfouche.

O carnavalesco Valdir Gomes está em seu terceiro mandato na Casa de Leis e afirma que almeja novos desafios. “Eu estou indo para o quarto mandato, eu tenho que ver minha bancada e ver os vereadores. Eu tenho intenção, sim, trabalhei bastante, chega uma hora que a gente quer algo maior, se tiver a oportunidade, sim, estou caminhando para o quarto mandato, sei o que a população pensa, não custa nada tentar”.

 
 
Composição

Atualmente, a mesa diretora da Câmara Municipal é composta pelo presidente João Rocha (PSDB); primeiro vice-presidente, Cazuza (PP); segundo vice-presidente, Eduardo Romero (Rede); terceiro vice-presidente, Ademir Santana (PSDB); primeiro-secretário, Carlão (PSB); segundo-secretário, Gilmar da Cruz (Republicanos); e terceiro-secretário, Papy (Solidariedade).

 

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.