Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

TUCANOS

‘Saímos mais forte do que entramos nessas eleições’, diz presidente do PSDB

Segundo de Paula, o partido obteve vitórias importantes nas prefeituras e conseguiu eleger um número de vereadores dentro da expectativa
16/11/2020 20:27 - Flávio Veras


Em coletiva concedida à imprensa na tarde desta segunda-feira (16), o presidente estadual do PSDB em Mato Grosso do Sul, afirmou que o partido saiu ainda mais fortalecido do que entrou na disputada das eleições de 2020.  

Além dele, participaram do evento o governador, Reinaldo Azambuja, o presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, o deputado federal, Beto Pereira, a ex-diretora-presidente da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul e agora deputada estadual - que irá assumir o posto após a morte de Onevan de Matos - Mara Caseiro, e o deputado estadual, Rinaldo Modesto.  

Segundo o presidente tucano, o partido conseguiu eleger e reeleger 37 prefeitos, um, a mais do que há quatro anos, e 234 vereadores. “Esses números representam que saímos vitoriosos como cabeça de chapa em 46,8% dos municípios. Se somarmos ao número de vices que compormos as chapas, esse percentual chega a mais de 50 prefeituras. Ou seja, hoje somos governo municipal em 75% dos municípios. Portanto, continuamos o partido mais forte de Mato Grosso do Sul”, enumerou.  

Em relação à bancada na Câmara Municipal de Campo Grande ter caído de oito para quatro cadeiras, de Paula reafirmou que, assim como na projeção do Estado, o partido também não saiu menor das eleições na Capital.  

“Não saímos menores porque respeitamos a vontade de nossos aliados, pois se projetarmos os eleitos que compõe nosso grupo político, elegemos 16 parlamentares municipais. Por esse motivo, respeitando toda bancada, poderemos permanecer com a presidência da Casa. No entanto, eu entendo que não só a nossa sigla deve estar forte, mas todo o nosso grupo político para projetarmos outros passos em Campo Grande e no Estado”, projetou.  

Sobre a derrota em Dourados, onde o PSDB apoiou o deputado estadual e candidato Barbosinha (DEM), de Paula afirmou que isso faz parte do jogo democrático, a derrota, porém em algumas cidades que não tinha expectativa de vitória, a legenda conseguiu ser governo municipal. A cidade é uma das maiores em população e obtém o segundo maior colégio eleitoral de Mato Grosso do Sul.

“Não avalio que saímos derrotados, pois a disputa está entre o Democratas, do Barbosinha e o Progressistas (PP), do Alan Guedes. Por exemplo, o PP exerce a liderança do Governo do Estado. Portanto, todo esses fatos fazem parte da regra do jogo político, é natural”, avaliou.  

Já a corrida eleitoral para o governo do Estado, em 2022, algumas figuras políticas e legendas já começaram a se articular. Questionado sobre uma possível candidatura do senador e irmão do atual prefeito da Capital, Nelson Trad (PSD), o presidente tucano afirmou que essa não foi uma das condições de apoio a Marcos Trad.  

“Cada partido pode se articular e lançar candidatura da forma que quiser. Isso faz parte do jogo democrático. Não é só o PSD que pode disputar o Governo de MS, existem outras legendas que tem nomes fortes, como o próprio Democratas. No quadro deles tem a ministra da Agricultura e Abastecimento, Tereza Cristina, ou mesmo o ex-ministro da Saúde, Luís Henrique Mandetta. Portanto, essa articulação se dá no âmbito político, pois esses partidos são nossos aliados”, finalizou.

 
 

Felpuda


Comentários ouvidos pela “rádio peão”, em ondas curtas, são de que figurinha só ganharia apoio dos colegas caso pessoa agregada fosse “curtir a aposentadoria” de uma vez por todas. Como seu acordo político acabou naufragando nesta campanha, agora dito-cujo estaria querendo recuar e não ceder o lugar. 

Isso até poderia acontecer, se não fosse a sua, digamos, eminência parda. Afe!