Política

LAVA JATO

Delcídio quer acesso a provas antes de novo depoimento

Defesa do senador quer detalhes da investigação

FOLHAPRESS

02/12/2015 - 19h13
Continue lendo...

A defesa do senador Delcídio do Amaral (PT-MS) não vai concordar com um eventual novo depoimento do parlamentar antes que ele tenha acesso à íntegra da investigação que o levou à prisão na semana passada.

Um dia após ser preso, Delcídio prestou na última quinta-feira (26) depoimento a dois procuradores da República e a um delegado da Polícia Federal. O depoimento, que durou cerca de quatro horas, foi encerrado sem que o senador abordasse diversos pontos da investigação, como o conteúdo de material apreendido no dia 25 em seu gabinete. Assim, havia a expectativa de que ele voltasse a falar aos investigadores nos dias seguintes, possivelmente o início desta semana.

Porém, o cenário mudou desde o último final de semana. O advogado do senador, Maurício Silva Leite, disse à reportagem que seria improdutivo o senador se manifestar nos autos sem saber dos detalhes da investigação. O defensor deve pedir nas próximas horas ao STF (Supremo Tribunal Federal), em petição, acesso a todas as provas.

Além do inquérito que trata da eventual obstrução à Justiça, motivo da prisão decretada pelo STF, a defesa do parlamentar quer acesso a dois outros procedimentos cautelares que embasaram os pedidos de prisão do assessor do senador, Diogo Ferreira, e do banqueiro do BTG Pactual André Esteves, que tramitam de forma separada.

VISITAS

O senador recebeu nesta terça-feira (1º) as primeiras visitas de parlamentares, todos do Estado que representa no Senado, Mato Grosso do Sul: o ex-governador Zeca do PT e os deputados federais Vander Loubet e Antônio Carlos Biffi, do PT, e Dagoberto Filho (PDT).

Delcídio, que está preso em uma sala na Superintendência da PF no Distrito Federal, pode receber visitas -desde que autorizadas previamente por ele- de segunda a sexta-feira das 15h às 16h. Os seus advogados podem ter acesso ao cliente ao longo de todo o expediente da PF, das 8h às 18h, com exceção do horário do almoço dos policiais do plantão.

Além de Delcídio, está preso na superintendência seu assessor parlamentar Diogo Ferreira. O banqueiro André Esteves e o advogado Edson Ribeiro estão presos no Rio de Janeiro. Eles estão presos sob a suspeita de obstrução à Justiça ao tentarem interferir na delação premiada do ex-diretor da área internacional da Petrobras Nestor Cerveró. A prisão foi pedida pela PGR (Procuradoria Geral da República) e autorizada pelo STF. A de Delcídio foi confirmada em plenário pelo Senado.

Pesquisa

Datafolha: aprovação de Lula sobe para 36% e reprovação cai pra 31%

No mesmo período da gestão Jair Bolsonaro, ex-presidente era aprovado por 32% e reprovado por 44%

18/06/2024 18h17

Aprovação de Lula teve leve alta

Aprovação de Lula teve leve alta Arquivo

Continue Lendo...

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) viu uma leve melhora na sua avaliação, conforme revelado pela nova rodada da pesquisa Datafolha divulgada nesta terça-feira, 18 de junho.

A aprovação de Lula subiu de 35% em março para 36% no levantamento atual. Ao mesmo tempo, a reprovação caiu de 33% para 31%. A avaliação regular apresentou uma leve variação, passando de 30% para 31%.

Comparando com o mesmo período do governo de Jair Bolsonaro, Lula está em uma posição mais favorável. Nos primeiros seis meses de gestão, Bolsonaro contava com 32% de aprovação e uma reprovação significativa de 44%, segundo os dados do Datafolha.

Em termos de expectativas econômicas, os dados mostram otimismo. Cerca de 40% dos entrevistados acreditam que a economia irá melhorar, enquanto 28% preveem uma piora e 27% acham que a situação permanecerá a mesma. Em março, essas expectativas eram de 39%, 27% e 32%, respectivamente.

Desafios econômicos

Apesar desse otimismo, muitos brasileiros ainda veem desafios econômicos. De acordo com a pesquisa, 42% dos entrevistados afirmaram que a situação econômica do país piorou nos últimos meses, enquanto 27% notaram uma melhora.

Quando perguntados sobre suas próprias finanças, 29% relataram uma melhora, enquanto 24% sentiram uma piora.

A pesquisa Datafolha foi realizada entre 4 e 13 de junho, ouvindo 2.008 eleitores em 113 municípios brasileiros. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos, garantindo uma representação precisa das opiniões dos eleitores.

Esses números são importantes indicadores da percepção pública sobre a administração de Lula e fornecem uma visão clara das expectativas e preocupações econômicas dos brasileiros.

Com a aprovação ligeiramente maior que a reprovação, Lula tem um sinal positivo, mas ainda enfrenta desafios significativos, especialmente no campo econômico.

Assine o Correio do Estado

Apostas esportivas

CPI das apostas ouve empresas de rastreamento de fraudes esportivas

A iniciativa de convidar especialistas busca esclarecer como funcionam as tecnologias de monitoramento das partidas de futebol no Brasil e a forma como essas informações são repassadas aos clientes

18/06/2024 18h00

Apostas esportivas

Apostas esportivas Arquivo

Continue Lendo...

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Apostas, no Senado Federal, recebe hoje, às 14h, depoimentos de representantes de empresas especializadas em coleta e análise de dados esportivos. Esses dados são cruciais para casas de apostas e federações esportivas monitorarem a integridade das competições.

Entre os convidados estão Felippe Marchetti, gerente de Integridade da Sportradar, e Thiago Horta Barbosa, chefe de Integridade para a América Latina da Genius Sports. A iniciativa de convidar esses especialistas partiu do relator da comissão, senador Romário (PL-RJ), com o objetivo de esclarecer como funcionam as tecnologias de monitoramento das partidas de futebol no Brasil e a forma como essas informações são repassadas aos clientes.

A Sportradar mantém contratos com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e com a Federação Internacional de Futebol (Fifa) para monitorar diversos campeonatos no país. A empresa também presta serviços para várias casas de apostas esportivas, reforçando a importância do seu papel na prevenção de fraudes.

A CPI das Apostas já coletou depoimentos de figuras importantes do futebol, como John Textor, presidente da Sociedade Anônima de Futebol (SAF) do Botafogo, Leila Pereira, presidente do Palmeiras, e Glauber do Amaral Cunha, árbitro acusado de manipulação de resultados.

*Com informações de Folhapress

Assine o Correio do Estado

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).