Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

DATAFOLHA

Deputados bolsonaristas de Mato Grosso do Sul comemoram aprovação do presidente

Pesquisa mostrou que a aprovação do presidente havia crescido de 44% para 47,1% em julho
15/08/2020 15:00 - Fábio Oruê


Após pesquisa do instituto Datafolha divulgar que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) teve o melhor índice de aprovação desde o início do mandato, em 2019, deputados estaduais por Mato Grosso do Sul, que também são apoiadores do presidente, comemoraram a dado positivo para o governo. 

Coronel Davi

Deputado Estadual Coronel Davi, que chegou a deixar o Partido Social Liberal (PSL) após a saída de Bolsonaro, repercutiu a pesquisa em suas redes sociais. 

"Com trabalho e honestidade, o Presidente Jair Messias Bolsonaro está recolocando o Brasil nos trilhos do desenvolvimento. E as pesquisas mostram que a população está entendendo o momento em que estamos vivendo", escreveu ele. 

O Deputado também avaliou que o centro-oeste possui um alto índice de aprovação. 

"O reconhecimento é nítido: 37% de brasileiros aprovam o trabalho do Presidente e no Centro-Oeste esta aprovação é ainda maior, sendo que a taxa de rejeição segue em queda", continuou.

Capitão Contar

Já para o Deputado Estadual Renan Contar (PSL) o apoio brasileiro com o presidente é "firme e inabalável". Avaliação positiva e crescendo cada vez mais! Nosso presidente segue com o apoio dos brasileiros, uma união firme e inabalável!", escreveu Contar em suas redes sociais. 

Pesquisa Datafolha

O presidente Jair Bolsonaro alcançou seu melhor índice de aprovação desde o início do mandato, segundo pesquisa divulgada ontem pelo Instituto Datafolha

Integrantes do alto escalão do governo avaliam que o resultado se deve à mudança de tom do presidente, que tem evitado declarações na porta do Palácio do Alvorada, e ao auxílio emergencial de R$ 600.

De acordo com o levantamento, 37% dos brasileiros consideram o governo ótimo ou bom, ante os 32% registrados em junho. 

Até então, os melhores índices de aprovação haviam sido os de abril e maio deste ano, 33% de ótimo ou bom. 

A pesquisa também mostra que a rejeição a Bolsonaro caiu 10 pontos porcentuais em comparação com o levantamento anterior.

Enquanto em junho 44% dos entrevistados avaliaram o governo como ruim/péssimo, agora a taxa foi de 34%.

O levantamento foi realizado com entrevistas por telefone com 2 065 pessoas entre os dias 11 e 12 de agosto. A margem de erro é de dois pontos.

impeachment


Após elevar a tensão com o Congresso e o Supremo Tribunal Federal (STF) no início do ano, Bolsonaro foi convencido por ministros a dar uma trégua para evitar o agravamento da crise que o ameaça com dezenas de pedidos de impeachment. 

O presidente também é pressionado por investigações no Supremo contra aliados e o caso da "rachadinha" no antigo gabinete do seu filho, o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), na Assembleia Legislativa do Rio.

Outra medida adotada por Bolsonaro foi se distanciar de apoiadores mais radicais e mostrar disposição ao diálogo. "Gosto de falar, mas vi que estava fazendo errado. 

Às vezes eu ficava dez minutos, 20 minutos, uma hora conversando. Pegavam cinco segundos e no dia seguinte era só pancadaria", disse Bolsonaro em live anteontem.

Apesar de o presidente frequentemente questionar a credibilidade de institutos de pesquisa, desta vez o índice foi comemorado por indicar que Bolsonaro cresceu mesmo após o Brasil superar 100 mil mortes por coronavírus.

 
 

Felpuda


Ex-petista de quatro costados, que acabou se aboletando em outro partido já há algum tempo, decidiu se submeter mais uma vez às urnas na tentativa de voltar a comandar cidade do interior de Mato Grosso do Sul. O eleitorado não botou fé e decidiu reeleger o atual prefeito.

Agora, há quem diga que o dito-cujo, que é fã de Carnaval, já pode ir preparando sua fantasia: “palhaço das perdidas ilusões”. Ô maldade!