Clique aqui e veja as últimas notícias!

VEREADOR CAMPO GRANDE

Do balcão da farmácia, Zé conquistou um gabinete na Câmara de Campo Grande

Conheça Zé da Farmácia, funcionário do mesmo estabelecimento há 32 anos e que agora será vereador
20/11/2020 09:15 - Flávio Veras


Quem verificou a lista dos vereadores eleitos de Campo Grande, ao ver o terceiro mais votado da lista, dever ter se perguntado: 

“Quem é esse Zé da Farmácia?”. 

O Correio do Estado foi às Moreninhas para entrevistar Jacinto Luna Neto, ou simplesmente Zé da Farmácia (Podemos), e lá foi possível compreender que o desconhecido da maioria dos moradores da Capital, além de ser muito popular no bairro – um dos maiores da cidade –, é famoso pelo atendimento atrás do balcão da farmácia em que ele é funcionário.  

Antes de tudo, uma curiosidade que chamou a atenção da reportagem foi o nome. 

Apesar de se chamar Jacinto, ele ficou conhecido como Zé da Farmácia. 

Ao ser questionado sobre o porquê do apelido, ele afirmou que não tem muita explicação.  

“Por eu sempre trabalhar na mesma farmácia há 33 anos, desde que cheguei, fiquei conhecido como Zé da Farmácia. Não sei por que esse nome ficou conhecido, mas pegou, e aqui ninguém me chama pelo meu nome de batismo. 

É o Zé da Farmácia, sem ao menos ser dono de uma farmácia”, brincou.

Natural de Vicentina, interior do Estado, Zé chegou em Campo Grande com 16 anos, em 1988. 

O primeiro emprego na cidade foi no atual local de trabalho, onde hoje completa 32 anos atrás do mesmo balcão. 

Figura divertida e de sorriso fácil, outra característica que chama a atenção do mais novo político é que ele conhece todos os clientes pelo nome, – pelo menos ele tratava todos os clientes que chegavam com muita proximidade enquanto a entrevista ocorria.

Além disso, cada um dos consumidores que entrava no comércio fazia questão de cumprimentá-lo pela vitória nas urnas. 

E foi por causa desta popularidade que o atendente de farmácia desde seus 16 anos conquistou o eleitorado.  

A primeira eleição que disputou foi em 2016, pelo Pros. 

A decisão foi tomada em razão da cobrança dos moradores para que ele se candidatasse, mas não saiu vitorioso daquele pleito.

“Eu faço política há muitos anos, porém fora de qualquer cargo eletivo. Com meu trabalho aqui na farmácia eu sempre procurei ajudar a todos, na medida do possível. Por muitas vezes um cliente antigo chega aqui e fala que não tem todo o dinheiro para comprar um medicamento. Quando isso acontece, faço um rateio junto aos colegas, pego o valor que ele tem e compramos a medicação. É muito duro ver uma pessoa com dor e não poder comprar o remédio que pode amenizar esse sofrimento”, contou.

Como liderança de bairro, ele afirmou que participou de diversas reuniões com o poder público. 

Para Zé da Farmácia, esses encontros e conversas lhe deram a “cancha” necessária para entender como funciona o setor. 

“Participei de diversas reuniões onde reivindicava desde asfalto até medicamentos no postos de saúde da região. Toda essa experiência me deu coragem para enfrentar uma eleição e vencer, como aconteceu agora. Portanto, hoje sinto que posso fazer bem mais dentro da Câmara Municipal”, explicou.

ELEIÇÃO

Sobre a vitória nas urnas, o vereador eleito disse que esperava uma votação expressiva na região das Moreninhas e que ela poderia lhe dar uma cadeira na Câmara. Porém, ele ainda contou com o apoio da deputada federal Rose Modesto (PSDB), que para ele foi fundamental para conquistar voto em outras regiões da Capital.  

“Eu sempre fui eleitor e cabo eleitoral da deputada, sendo que na eleição que lhe deu a vaga na Câmara Federal trabalhei de forma voluntária. Devido a essa dedicação, a Modesto prometeu que me apoiaria e cumpriu essa promessa. Sou muito grato a ela e a todos os cabos eleitorais que ela me indicou, pois eles foram fundamentais para que nossa campanha fosse ainda maior”, agradeceu.  

Acompanhe as últimas notícias do Correio do Estado