Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

APÓS RECLAMAÇÕES

Dança das Cadeiras: Presidente da MS Gás deve assumir direção do Detran

Nomeações estão programadas para ocorrer até a próxima segunda-feira
05/03/2020 17:09 - Eduardo Miranda


 

O Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul (Detran-MS) terá novo diretor a partir da próxima segunda-feira. O governo do Estado prepara para a semana que vem, uma “dança das cadeiras” para dar mais eficiência ao órgão, e reacomodar lideranças.  

O novo diretor do Detran deve ser Rudel Espíndola Trindade, que atualmente é o diretor-presidente da Companhia de Gás de Mato Grosso do Sul (MS Gás). Rudel, que já dirigiu o Detran na gestão de Wilson Barbosa Martins, na década de 1990, e deu início a vários projetos, como o Detranzinho além de ter ampliado a estrutura do órgão, substituirá Luiz Carlos da Rocha Lima.  

Rocha Lima deve assumir o cargo de assessor especial da Secretaria de Governo, que era ocupado pelo ex-prefeito de Amambai e ex-deputado estadual Dirceu Lanzarini, assassinado no último dia 24 de fevereiro pelo funcionário de sua fazenda, durante uma discussão.  

Com a saída de Rudel Espíndola Trindade da MS Gás, a companhia estatal deve ser assumida pelo diretor-adjunto, Rui Pires dos Santos.  

No Parque dos Poderes, a justificativa é continuar acomodando o atual diretor do Detran no governo, abrindo espaço para melhorar a eficiência da autarquia. A avaliação no núcleo duro do governo é que a insatisfação com os serviços prestados pelo Detran aumentou depois dos abusos cometidos após a implantação da placa modelo Mercosul, no início do mês passado. 

Felpuda


As eleições do segundo turno, encerradas no domingo (29), descortinaram panorama de como será a briga eleitoral em 2022.

Os partidos das chamadas extremas direita e esquerda, no cômputo geral, tiveram o repúdio das pessoas nas urnas, que contrariaram, nos dias das votações, o dito popular de que na briga entre o rochedo e o mar quem apanha são os mariscos. Desta feita, decidiram escolher ficar em águas mais tranquilas pelos próximos quatro anos, evitando extremistas.