Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

TROCA DE COMANDO NA PF

Em discurso, Bolsonaro cita Constituição e independência entre poderes

declaração ocorre após decisão do ministro STF impedir a nomeação de Alexandre Ramagem como diretor-geral da PF
29/04/2020 23:00 - Estadão Conteúdo


O presidente Jair Bolsonaro destacou a independência dos três poderes públicos na cerimônia de posse ministerial de André Mendonça, na Justiça, e de José Levi, na Advocacia-Geral da União. Bolsonaro leu artigos da Carta Magna para reforçar a divisão e atuação independente dos três poderes. A declaração ocorre após decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes impedir a nomeação de Alexandre Ramagem como diretor-geral da Polícia Federal.

"Não posso admitir que ninguém ouse desrespeitar ou tentar desbordar a nossa Constituição", disse. Na cerimônia, Bolsonaro fez questão de cumprimentar autoridades do Judiciário presentes, como o presidente do STF, Dias Toffoli, e o ministro Gilmar Mendes. O presidente destacou que o seu papel e dos demais poderes é o de garantir a "harmonia, independência e respeito (dos Poderes) entre si".

Com uma analogia para explicar a saída de dois ministros de seu governo nas últimas semanas, o chefe do Executivo afirmou que "jogadores também cansam". "Usando o direito que tenho como chefe do Executivo, nós substituímos essas pessoas", disse.

Bolsonaro afirmou sua confiança em Mendonça e Levi e disse aos ministros recém empossados que, junto ao Poder Legislativo e Judiciário, compõe um time de "privilegiados" que tem nas mãos o futuro do País.

Felpuda


Como era de se esperar, as pesquisas mexeram nos ânimos de candidatos, principalmente daqueles que apareceram com índices pífios.

E assim, muitos deles certamente darão novo rumo às suas campanhas eleitorais.

A maioria, é claro, tenta mostrar otimismo, e o que mais se ouve por aí é que “agora o momento será de virada”.

Como disse atento e irônico observador: “Tem gente por aí que poderá virar, sim. Mas virar gozação!”. Ui...