Clique aqui e veja as últimas notícias!

MUDANÇA

Ex-adversário, Renan Calheiros se posiciona a favor da eleição de Tebet no Senado

Cacique emedebista fez duras críticas aos dirigente do MDB que, segundo ele, “deixou de ser partido para virar um bando”
31/01/2021 17:00 - Flávio Veras


Os senadores Renan Calheiros (MDB-AL) e Simone Tebet protagonizaram uma disputa polarizada dentro do partido há dois anos para ser o nome emedebista para a disputa da presidência do Senado. No entanto, o ex-adversário vem se posicionando a favor da eleição da senadora como comandante da Casa de Leis na eleição que ocorre nesta segunda-feira (1º).  

O embate entre os dois foi decisivo para eleição do atual presidente, Davi Alcolumbre (DEM-AP), já que a senadora decidiu deixar a disputa para transferir seus votos ao parlamentar amapaense. 

Calheiros na última semana vem criticando a postura dos dirigentes do partido, que decidiram abandonar Tebet à própria sorte e passaram a apoiar Rodrigo Pacheco (PSDB-MG), em troca de cargos e a presidência de comissões. O candidato minero tem o aval de Alcolumbre e do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Últimas Notícias

O cacique emedebista fez duras críticas aos colegas do partido que optaram por deixar a candidatura da senadora Simone. “Viramos um bando. Deixamos de ser partido”, criticou as conversas em busca de cargos na Mesa e nas comissões.  

Em mensagens postadas pelo WhatsApp no grupo de senadores da sigla, Renan disse que o MDB “cristianizou” Simone Tebet e virou “pedinte”, com a bancada “mendigando” uma conversa com o presidente do Senado para receber “carguinhos como favor”.  

“É o fim melancólico para quem liderou a Casa e agora foi rebaixado para Série D. Definitivamente, falta-nos rumo, bandeira e deixar claro que o óbvio esmagamento da proporcionalidade implicará na suspensão da governabilidade do Senado e do Congresso, pelo menos”, constatou.  

Já em nota oficial divulgada em suas redes sociais, o senador afirmou que o Brasil atual impõe responsabilidades institucionais.  

“Em nome dos preceitos sagrados da democracia, da independência dos poderes e respeito à proporcionalidade, reitero o apoio e voto em Simone Tebet, que traz ainda a força da mulher e da renovação. A eleição das mesas é um divisor de águas entre a barbárie e a civilidade, entre o isolamento e a cooperação que retardam a vacinação no Brasil”, concluiu.

Outros apoios

A senadora Mara Gabrilli (PSDB-SP) publicou artigo no site Nexo Jornal defendendo um Senado independente e diz que há um movimento escancarado de cooptação. Para ela, Tebet representa a candidatura de alguém preocupado com a construção de uma sociedade civil forte, a defesa da autonomia do Senado e demonstra responsabilidade para com a Nação. 

Mara critica a ingerência do Executivo nestas eleições com liberação de emendas para os apoiadores dos candidatos do governo e a oferta de cargos. “Nesta eleição à presidência do Senado, fica claro que a autonomia da Casa vem perdendo espaço para um rasteiro jogo de interesses”, escreveu.

“Coragem é a capacidade de agir apesar da intimidação. E nós não podemos nos calar diante de um movimento escancarado de cooptação”, escreveu e prosseguiu: “Além disso, ter uma mulher na presidência do Senado estimulará milhares de mulheres pelo país a seguirem lutando pelos seus direitos e a ingressarem na vida pública. (…) Chegou o momento de o Senado Federal mostrar sua independência do governo federal. Vamos eleger a primeira mulher presidente do Senado e refletir a nossa força, ética e sensibilidade para enfrentar, vencer essa crise e fortalecer a nossa democracia”, finaliza o texto.

Na semana passada, o senador Oriovisto Guimarães (Podemos-PR) publicou artigo no site de O Estado de São Paulo, intitulado “Por que voto em Simone Tebet”.

Ele iniciou o texto citando a frase do filósofo e jornalista José Ortega y Gasset, “O homem é o homem e suas circunstâncias”, para dizer que não consegue entrar em sintonia com suas circunstâncias do candidato da situação, senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG), que se eleito, terá uma dívida de gratidão com Davi Alcolumbre e com o Presidente Jair Bolsonaro.

Ele ressaltou que a candidatura da parlamentar é baseada na sua história pessoal e que chegará ao cargo com independência, tendo compromissos, apenas, com sua biografia e sua pauta como candidata. “Isso implica compromisso com a independência do Senado e a luta constante em defesa dos interesses maiores da nação”, escreveu.

Ao longo da campanha, vem recebendo apoio de outros senadores, principalmente nas redes sociais. Publicaram essa posiçãos os parlamentares: Alvaro Dias, Oriovisto Guimarães, Lasier Martins, Alessandro Vieira, Eduardo Girão, Eduardo Braga, Dário Berger, Fernando Bezerra, Marcelo Castro, Confúco Moura, Jarbas Vasconcelos, José Serra, Mara Gabrilli, Tasso Jereissati, Leila Barros. Já a senadora Rose de Freitas declarou apoio pela imprensa.

O senador Jorge Kajuru, apesar de ter lançado candidatura, tem sido um ativo defensor da candidatura da senadora.

Além disso, os ex-senadores, como Pedro Simon e Marisa Serrano gravaram vídeos em defesa da sul-mato-grossense. Eunício Oliveira, ex-presidente do Senado, e Marta Suplicy, ex-vice-presidente do Senado também declararam apoio. 

Entidades e associações

Por fim Tebet ainda tem recebido apoio de representantes de movimentos de mulheres, MDB-Mulher, Movimento Negro Partidários e diversas entidades e associações do de Mato Grosso do Sul, como a Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDL-MS), Associação dos Defensores Públicos (ADEP-MS), Ordem dos Advogados do Brasil no Estado (OAB-MS), Associação Sul Matogrossense do Ministério Público (ASMMP-MS), Associação Brasileira das Mulheres de Carreira Jurídica (ABMCJ-MS), Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Associação dos Delegados de Polícia (ADEPOL-MS), BPW - Mulheres de Negócios de MS e Nacional.