Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

POUCOS VOLUNTÁRIOS

Justiça diz que faltam mesários em duas zonas eleitorais de Campo Grande

Na 35ª e na 36ª zona eleitoral de Campo Grande a adesão de voluntários é baixíssima
02/10/2020 10:00 - Flávio Veras


O Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE-MS) está enfrentando dificuldades para encontrar mesários dispostos a atuar nas eleições de 2020 em Campo Grande.  

A Justiça Eleitoral enfrenta baixa adesão de mesários voluntários para a 35ª e a 36ª zona eleitoral. No interior de Mato Grosso do Sul, informou o órgão, a situação é mais tranquila, enquanto nas outras quatro zonas eleitorais de Campo Grande há mesários suficientes, mas no limite do necessário.  

A 35ª zona eleitoral atende os bairros Nova Lima, Santo Amaro e Cophasul. Já a 36ª dispõe de vagas destinadas às regiões do Centro, São Francisco, Jardim dos Estados, Monte Castelo, Mata do Jacinto, Vila Margarida e Estrela D’Alva.

Campo Grande precisa de aproximadamente 9,3 mil mesários para todas as seis zonas eleitorais. Nas duas zonas eleitorais em que há falta de voluntários são necessários pelo menos 1,5 mil mesários em cada uma para que o pleito transcorra normalmente. O TRE-MS não informou o número de voluntários necessário para essas duas regiões.  

Os voluntários da 35ª podem entrar em contato pelos seguintes telefones: (67) 99834-2445 (WhatsApp), (67) 2107-7250 ou (67) 2107-7268. Já os da 36ª devem entrar em contato diretamente pelo telefone (67) 99809-6775.

 

ADESÃO

No geral, a adesão de voluntários às eleições é considerada satisfatória pelo tribunal. Foram 5.322 inscrições até agora, que superam o pleito de 2018, em que esse montante chegou a 4.987 mesários. Para todo o Estado, são necessários 23 mil mesários para a realização das eleições deste ano.  

Sobre a falta de mesários, o alerta foi feito pela coordenadora do Grupo de Trabalho de Mesário Voluntário do Tribunal, Kátia Souza. Segundo ela, os voluntários e convocados que já atuaram em outros pleitos estavam acostumados a fazer suas confirmações de forma presencial, indo até os Cartórios e Tribunais Eleitorais, ou por meio de um oficial de Justiça.

“Em virtude da pandemia, o processo foi alterado e deve ser feito por telefone ou por e-mail. Portanto, nós pedimos que os interessados sempre chequem seus e-mails ou entrem em contato com o TRE. Apesar de a Capital ter um número maior de mesários inscritos, também há a cada pleito uma necessidade maior. Ou seja, por ser o maior colégio eleitoral, em Campo Grande tem uma proporcionalidade elevada e, por isso, a demanda no município é maior” explicou.

Além disso, Souza revelou que ao menos 20% dos voluntários até agora desistiram de participar das eleições, portanto, é necessário repor essas vagas. “Todos os cartórios eleitorais já enviaram suas convocações e, neste momento, estão ocorrendo substituições. Às vezes acontece algo e a pessoa não está mais disponível para atuar e, por esse motivo, a importância de novatos nos pleitos. Outra preocupação nossa é que eles precisam confirmar suas presenças para poder fazer os treinamentos, ainda mais por estarmos enfrentando esse momento de pandemia”, ponderou.

 

BIOSSEGURANÇA

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) lançou um plano de segurança sanitária para as eleições municipais de 2020. Em função da pandemia, o tribunal estabeleceu um protocolo com medidas preventivas para eleitores e mesários que vão trabalhar no pleito, que será realizado em novembro.

Os cerca de 2 milhões de mesários deverão trocar as máscaras de proteção a cada quatro horas, manter distância mínima de um metro entre os eleitores e os demais mesários, limpar as superfícies com álcool 70% e higienizar as mãos com álcool em gel constantemente.

Mesários que estiverem com sintomas da Covid-19 não devem comparecer ao local de votação. Posteriormente, a ausência poderá ser justificada na Justiça Eleitoral. Outro público que não poderá participar do pleito são os idosos acima de 60 anos.

 
 

Felpuda


Candidato a vereador caiu em desgraça, pelo menos em um dos bairros de Campo Grande, ao promover comício em ginásio de esporte, com direito a ônibus lotados e espoucar de muitos fogos de artifício.

Aí dito-cujo foi alvo de muitas críticas, tanto pela zoeira causada, como por ter mandado às favas quaisquer cuidados na prevenção da Covid-19, ao promover grande aglomeração. Irresponsabilidade é pouco, hein?!