Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

SEM MINISTRO

Geraldo Resende diz que instabilidade vai aumentar mortes por Covid-19

Secretário de Saúde do Estado comentou demissão de ministro da Saúde
15/05/2020 16:03 - Yarima Mecchi


O secretário de Saúde de Mato Grosso do Sul, Geraldo Resende, afirmou que a instabilidade no Governo Federal diante da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) pode aumentar o número de casos e de mortes por conta da doença. No final da manhã desta sexta-feira (15) o então ministro da Saúde, Nelson Teich, pediu demissão após 28 dias no cargo, o que gerou mais instabilidade no Governo Federal.  

Teich foi nomeado após demissão de Luiz Henrique Mandetta, no dia 16 de abril e empossado no dia 17 do mesmo mês. “Esse quadro de instabilidade vai gerar mais mortes, maior alastramento do nosso inimigo que é o coronavírus. O que menos precisamos é uma instabilidade e falta de rumo. Essa situação vai levar a perdas de vidas, maior número de casos no nosso país”, avaliou o secretário.

Sobre quem pode assumir novamente a pasta Resende espera um nome que siga as orientações da ciência e consiga unificar União, estados e municípios no combate a transmissão da Covid-19.  

“Espero que se reverta essa situação e coloque gente compromissada e que conheça os sistemas de saúde e os preceitos oriundos da ciência. Precisamos acabar com a instabilidade, ter um comando único e que todos sejamos atores para fazer o que é de nossa responsabilidade. Alguém que continue seguindo a linha da ciência, precisamos ter linhas definidas para que todos nós, ministério, secretários de estado e de municípios possamos travar essa luta contra o inimigo de todos que é coronavírus”.  

A Secretaria Municipal de Saúde Pública (Sesau) de Campo Grande foi procurada e por meio da assessoria de imprensa disse que não vai comentar a demissão de Teich. Ainda de acordo com a assessoria, a pasta “irá continuar seguindo as orientações e protocolos estabelecidos pela equipe técnica do ministério”.  

O secretário municipal José Mauro Castro Filho foi procurado, mas não respondeu à reportagem. A Sesau não respondeu sobre a posição do titular da pasta.  

 
 

Felpuda


Comentários maldosos nos meios políticos dão conta que duas figurinhas que se rebelaram contra os próprios colegas poderão ficar no sereno político e, de forma indireta, serem personagens das próprias manifestações.

Um deles defendeu a redução do número de vereadores, e o outro disse ter vergonha de exercer o cargo. Agora enfrentam altos e baixos na campanha eleitoral.