Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ECONOMIA

Guedes é dono de 99% da pauta econômica, diz Bolsonaro

Aquele 1% restante, no entanto, fica a cargo do presidente da República
07/05/2020 23:00 - Estadão Conteúdo


 

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (7) que o ministro da Economia, Paulo Guedes, detém 99% do poder de decisão sobre a pauta econômica do governo. Aquele 1% restante, no entanto, fica a cargo de Bolsonaro.

"Quase 10 milhões de brasileiros perderam carteira assinada, os informais já perderam 80% do poder aquisitivo, estão sobrevivendo com parcela R$ 600, que depois de dois meses acaba. E não tem essa de fabricar dinheiro, isso não existe, é inflação, caos e miséria", disse Bolsonaro na entrada do Palácio da Alvorada.

Em seguida, um apoiador que acompanhava a fala disse que "o Paulo Guedes está de olho". "O Paulo Guedes é dono de 99% da pauta. Diria até para a imprensa ouvir ali", reagiu Bolsonaro.

Ontem, o Congresso atropelou medida desenhada por Guedes, de congelamento de salários dos servidores públicos, e reduziu em quase R$ 90 bilhões a economia nos gastos do governo federal, Estados e municípios com a folha de pagamento de pessoal até 2021. A decisão teve aval do líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo (PSL), que relatou ter conversado com Bolsonaro.

Hoje, o presidente disse que vai vetar o trecho do projeto de ajuda aos Estados que abre possibilidade de reajuste salarial para categorias de servidores públicos, mesmo em meio à pandemia de coronavírus. "Eu sigo a cartilha de Paulo Guedes na economia. Se ele acha que deve vetar, assim será feito", disse o presidente.

AQUELE 1%

Bolsonaro costuma deixar claro que dá liberdade para os ministros, mas que é ele quem dá a palavra final sobre as questões do governo e até nomeações. A postura foi evidenciada com a saída do ex-ministro Sergio Moro do governo, que afirmou ter sofrido pressão para trocar o comando da Polícia Federal.

No último sábado, o ex-ministro da Justiça Sergio Moro afirmou, no depoimento que prestou à Polícia Federal, que Bolsonaro disse em fevereiro, por mensagem de celular, que queria indicar um novo superintendente para a Polícia Federal no Rio de Janeiro, Estado no qual o presidente construiu a carreira política.

Segundo Moro, a mensagem tinha mais ou menos o seguinte teor: "Moro você tem 27 Superintendências, eu quero apenas uma, a do Rio de Janeiro".

 

Felpuda


Mesmo sem ter, até onde se sabe, combinado com o eleitor, candidato a prefeito começou a apresentar nomes do seu ainda hipotético secretariado, pois parece estar convicto de que conseguirá vencer a disputa.

Os adversários dizem por aí que ele está muito distante de “ser um Jair Bolsonaro”, que, ainda na campanha eleitoral para presidente da República, já falava em Paulo Guedes para ser seu ministro de Economia. Como sonhar é permitido