Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

ELEIÇÕES 2020

Harfouche afirma em coletiva ser alvo de julgamento político e não jurídico

Procurador declarou que outros candidatos estão com medo da concorrência para eleições municipais na Capital
12/11/2020 18:30 - Ana Karla Flores, Flávio Veras


Em coletiva de imprensa, realizada nesta quinta-feira (12), o candidato a prefeitura de Campo Grande e procurador de justiça, Sérgio Harfouche (Avante), declarou que foi vítima de um julgamento político, pois os adversários estão com medo da concorrência. 

De acordo com Harfouche, ele foi alvo de um julgamento político, não jurídico, pois em 2018 ele já teve uma decisão idêntica que reconheceu a disputa a uma vaga no Senado Federal. 

“Meus adversários estão usando de métodos escusos, pois estão com medo do meu nome nas urnas. Mesmo respeitando o TRE, eu acredito que fui vítima de um julgamento político, pois temos precedentes de uma decisão favorável”.

Harfouche afirmou que todo o magistrado que votou no julgamento já possuía uma ideia formada previamente. “No entanto, irei lutar até a última instância para que meu direito seja garantido”, lamentou. 

De acordo com o advogado de defesa de Harfouche, Vinícius Monteiro Paiva, apesar de a sentença ser possível, foi recebida com surpresa pela coligação. “Nós temos a decisão do TRE que deferiu a candidatura de Harfouche ao Senado. Além disso, temos o manifesto favorável da Procuradoria do Estado reconhecendo que a candidatura do meu cliente é viável". 

Paiva declarou que nesta sexta-feira (13), vai entrar com pedido para que outro Pleno analise o caso, agora no TSE. “Nós acreditamos que sairemos vencedores nessa disputa judicial”, projetou.

Impugnação

Candidatura foi indeferida em outubro, pelo juiz da 53º Zona Eleitoral de Campo Grande, Roberto Ferreira Filho, pois para ele o procurador deveria ter deixado o Ministério Público de Mato Grosso do Sul ou se aposentado para concorrer. O pedido de impugnação contra Harfouche, foi solicitado de Marcos Trad (PSD) e Esacheu Nascimento (PP).

O candidato recorreu à decisão, mas o Pleno negou o recurso por cinco votos a um. A juíza Monique Marchiori Leite, foi a única a votar a favor do provimento do recurso. Assim, a Justiça Eleitoral manteve decisão que indeferiu o registro de candidatura para a prefeitura da Capital. 

 
 

Felpuda


Outrora bons de votos – faziam adversários temerem o confronto nas urnas –, agora, por mais que tentem, alguns políticos não conseguem, nem de longe, alcançar patamar de outros tempos e voltar ao que eram. 

O pior é que, a cada disputa, a preferência popular só vem diminuindo. Neste ano, a eleição municipal demonstrou que muitos já estão com prazo de validade vencido e rótulo gasto.

E faz tempo, hein?!