Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ELEIÇÕES

Horário de votação para as eleições municipais é ampliado em uma hora

Também haverá horário de votação preferencial das 7h às 10h para pessoas acima de 60 anos
28/08/2020 08:44 - Gabrielle Tavares


O horário de votação nas eleições municipais de 2020 foi ampliado em uma hora pelo Tribunal Superior Eleitoral, por conta da pandemia da Covid-19. As urnas ficarão abertas das 7h às 17h.

O TSE também definiu que haverá horário de votação preferencial das 7h às 10h para pessoas acima de 60 anos, que fazem parte do grupo de risco do coronavírus.

O primeiro turno do pleito está marcado para 15 de novembro e o segundo, caso seja necessário, no para 29 de novembro.

A decisão de ampliar o horário de votação foi do presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, com a intenção de garantir mais tempo para que eleitores votem com segurança e tentar reduzir as possibilidades de aglomeração nos locais de votação.

O horário foi definido após análise de estatísticos do tribunal e avaliação de uma consultoria técnica, formada por especialistas do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa), Insper e Universidade de São Paulo (USP).

Antes da nova medida, as votações estavam marcadas para começarem às 8h. O ministro Barroso afirmou, em nota, que a antecipação do início da votação para 7h invés da extensão para 18h, atende pleito dos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs).  

“Não foi possível estender para mais tarde do que isso porque, em muitas partes do Brasil, depois dessa hora, há dificuldade de transporte e há problemas de violência”, apontou.

Barroso lembrou ainda que um grupo de empresas e de entidades de classe doará equipamentos de proteção individual, como máscaras, protetores faciais e álcool em gel e spray para quem trabalhar na eleição. Além de álcool em gel para que eleitores higienizem as mãos nas seções.

 
 

Felpuda


A lista do Tribunal de Contas de MS, com nomes de gestores que tiveram reprovados os balanços financeiros de quando exerceram cargos públicos, está deixando muitos candidatos de cabeça quente.  Conforme previsto pelo Diálogo, adversários estão se utilizando de tais dados para cobrar, principalmente nas redes sociais, deixando alguns gestores na maior saia justa e tendo que se explicar. O eleitor, por enquanto, só observa. E dê-lhe!