Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

BOLSONARISTA

Jornalista é preso pela Polícia Federal em Campo Grande

Oswaldo Eustáquio, jornalista bolsonarista foi preso na manhã desta sexta-feira, a mando do Supremo Tribunal Federal
26/06/2020 13:26 - Eduardo Miranda, Nyelder Rodrigues


A Polícia Federal prendeu o jornalista Oswaldo Eustáquio na manhã desta sexta-feira, em Campo Grande. 

Os agentes federais cumpriram mandado de prisão expedido pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes, no inquérito que apura atos antidemocráticos, como ataques à sede do STF, em Brasília (DF).  

Há duas semanas, o blogueiro, famoso por sua defesa do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nas redes sociais, foi alvo de ordem de busca e apreensão, em operação que outros blogueiros, como Alan dos Santos, também conhecido como Terça-Livre, foi alvo de mandado de buscas. 

O mesmo inquérito investiga a atuação da ativista Sara Geromini, a Sara Winter.  

Nesta sexta-feira, Eustáquio publicou vídeo na cidade de Pedro Juan Caballero, no Paraguai, fronteira com Ponta Porã. 

Ele afirmava que estava na cidade para mostrar como o país vizinho enfrenta a pandemia. 

No Twitter, durante essa semana, ele disse que estava no Mato Grosso do Sul e no Paraguai para fazer um trabalho investigativo.  

VEJA O VÍDEO:

 

 
Oswaldo Eustáquio esteve em Pedro Juan Caballero nesta semana - Divulgação: Youtube
 

Em uma de suas postagens, Eustáquio disse que o sucesso do país vizinho no combate à pandemia de coronavírus era simples, “comércio aberto e combate à desinformação na mídia”.  

Na manhã desta sexta-feira, pouco antes de ser preso, afirmou também em sua conta no Twitter que o General Pazuelo (ministro interino da Saúde), precisava encontrar uma forma rápida de enviar os 5,6 milhões de comprimidos de hidroxicloroquina que estão parados no MS. 

Ainda não há comprovação de que esta denúncia é procedente.  

Sobre o inquérito que tramita no Supremo, a Procuradoria-Geral da República argumentou ao STF que Eustáquio defendeu uma “ruptura institucional de maneira oblíqua”. 

Seu perfil oficial no Twitter comunicou a prisão no início da tarde, afirmando que o ativista foi preso arbitrariamente. “É o oitavo preso político do Brasil”, disse a conta.

 
 

Felpuda


Alguns pré-candidatos que estão de olho em uma cadeira de vereador vêm apostando apenas nas redes sociais, esperançosos na conquistados votos suficientes para se elegerem. A maioria pede apoio financeiro para continuar mantendo suas respectivas páginas, frisando que não aceita dinheiro público ou de político, fazendo com que alguns se lembrem daquela famosa marchinha de carnaval: “Ei, você aí, me dá um dinheiro aí, me dá um dinheiro aí...”. Como diria vovó: “Essa gente perdeu o rumo e o prumo”.