Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PRÉ-CANDIDATA

Ré por corrupção, apresentadora é confrontada no ar por telespectador

Keiliana Fernandes tem feito várias denúncias em seu programa, mas responde na Justiça por pedir proprina
26/04/2020 16:41 - Da Redação


A apresentadora do programa MS Urgente, Keiliana Fernandes, pré-candidata à vereadora, teve de explicar ao vivo, perguntas dos telespectadores sobre denúncias de corrupção e cheques sem fundo.  

Em programa que foi ao ar neste mês de abril, um telespectador, que identificou-se como Marcos Corrêa Ávila, abordou a apresentadora, com a seguinte pergunta: “Está fazendo campanha antecipada e você também”. Na sequência, o mesmo telespectador ainda fez a seguinte pergunta: “para quem se diz tão honesta, foi denunciada, né?”.

Keiliana responde na Justiça Federal por corrupção. Ela está envolvida em esquema de desvio de dinheiro da saúde na prefeitura de Dourados, na década passada na gestão do ex-prefeito Ari Artuzi (que morreu em agosto de 2013).

No mesmo programa, também foi perguntado à Keiliana, se ela já havia pago a um credor, R$ 45 mil que constavam em um cheque, que não foi compensado por não ter fundos.  

Neste dia específico, a produção acabou selecionando a pergunta de um telespectador, que lembrou que Keiliana responde por corrupção. Em outra ocasião, o cheque sem fundo também teria sido citado.  

O processo sobre propina de R$ 2 milhões na prefeitura de Dourados, que Keiliana foi denunciada, tramita em segredo de Justiça. A denúncia é de setembro do ano passado. 

Nas eleições de 2018, Keiliana candidatou-se a deputada federal pelo PROS. Teve pouco mais de 5 mil votos e não foi eleita. 

 
Momento em que a apresentadora é confrontada - Reprodução
 

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.