Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ELEIÇÕES

Partido quer apoio de Azambuja a Trad: "Se não fosse o PSD, Odilon era o governador"

Representante do prefeito na Câmara espera “ato de gratidão” de Azambuja
07/08/2020 09:30 - Yarima Mecchi


Líder do prefeito Marcos Trad (PSD) na Câmara Municipal de Campo Grande, o vereador Francisco Almeida Telles (PSD), o Chiquinho Telles, afirmou que, se não fosse a participação de seu partido na campanha de 2018, o governador de Mato Grosso do Sul não seria Reinaldo Azambuja (PSDB), mas, sim, o juiz federal aposentado Odilon de Oliveira, que disputou o posto pelo PDT.  

A declaração do vereador ocorreu após ele ser questionado se a união feita em 2018 deve se repetir em 2020. 

De acordo com Telles, o prefeito não deve cobrar uma posição de Reinaldo Azambuja e nem do ninho tucano. 

“Caso não fosse o apoio do Marquinhos, o governador seria o Odilon de Oliveira. Se não fosse o PSD, o Odilon era o governador. O Marquinhos não vai cobrar do PSDB”, disse.  

Aliado de Trad, Chiquinho disse ainda que espera gratidão dos tucanos em relação ao trabalho feito em 2018. O vereador destacou que com o apoio de Trad foi possível Azambuja ganhar votos em Campo Grande. 

Ele perdeu em Dourados, na cidade do Murilo Zauith, vice dele. Ganhou em Campo Grande com o apoio do PSD. Eu sempre disse: a gente sempre espera que o PSDB retribua aquilo que o PSD deu nas eleições de 1º e 2º turno. Acredito que exista a gratidão na política”.  

Conforme dados do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE-MS), no segundo turno de 2018, Azambuja teve 60.888 votos a mais que Odilon, 28.549 deles em Campo Grande. 

Ao todo, o candidato tucano teve 677.310 votos (52,35%) e Odilon 616.422 (47,65%), uma votação apertada, com apenas 4,7% de diferença.

Procurado pelo Correio do Estado, o presidente estadual do partido e senador Nelson Trad Filho, eleito em 2018 na coligação de PSDB e PSD, afirmou que ambos partidos saíram ganhando com a aliança.  

“Eu acho que uma parceria quando funciona dá certo para os dois lados. Realmente, o PSDB poderia não reeleger o governador, mas o PSD não elegeria um deputado e um senador. O resultado é bom para os dois lados”, disse, citando sua eleição e de seu irmão Fábio Trad, deputado federal pelo PSD.

Concorrente de Azambuja em 2018, o juiz federal Odilon de Oliveira disse considerar importante a atuação de Trad no pleito. 

“O partido do Marquinhos levou muitos votos para o Azambuja. Ele ganhou muitos votos na Capital, quase metade dos votos a mais do segundo turno ele ganhou aqui”, ressaltou Odilon, afirmando que, mesmo com as diferenças em 2018, deve apoiar a reeleição de Trad.

 
 

Felpuda


Figurinha está trabalhando intensamente para tentar eleger a esposa como prefeita de município do interior.

Até aí, uma iniciativa elogiável. Uns e outros, porém, têm dito por aí que seria de bom tom ele não ensinar a ela, caso seja eleita, como tentar fraudar folha de frequência de servidores. 

Afinal, assim como ele foi flagrado em conversa a respeito com outro colega, não seria nada recomendável e poderia trazer sérias consequências. Só!