Clique aqui e veja as últimas notícias!

CONGRESSO

Lira e Pacheco cobram pauta econômica como prioridade

Na abertura do ano legislativo, presidentes da Câmara e do Senado defenderam as reformas tributária e administrativa
04/02/2021 10:00 - Da Redação, Estadão Conteúdo


Os novos presidentes do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), e da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), divulgaram ontem uma pauta conjunta que prioriza projetos econômicos no Congresso. Eles também defenderam um processo de vacinação mais ágil no País.

Ambos declararam apoio a um auxílio emergencial dentro do teto de gastos, mesmo enfrentando a oposição manifesta do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) neste ponto.

Lira e Pacheco realizaram um evento pela manhã, no qual leram um documento conjunto com pautas prioritárias para o Congresso. Na sequência, os presidentes das Casas foram para o Palácio do Planalto para um encontro com Bolsonaro, que apoiou a campanha de ambos nas eleições de Câmara e Senado.

Aproximação

A visita ao Planalto foi um gesto idealizado para ilustrar a mudança na relação entre Executivo e Legislativo, que foi conturbada durante a gestão de Rodrigo Maia (DEM-RJ) à frente da Câmara.

A conversa, que não entrou na agenda oficial de Bolsonaro, mas foi anunciada pelos parlamentares, foi rápida, e os três em seguida fizeram um breve pronunciamento à imprensa, sem abrir para perguntas dos jornalistas.

Enquanto os cinegrafistas se organizavam para a declaração conjunta, Bolsonaro orientou Pacheco e Lira a falar por apenas 30 segundos e depois sair.

Últimas notícias

“Este diálogo não começou hoje, começou durante a própria campanha. Apresentamos uma sugestão de pautas para os presidentes da Câmara e do Senado. Podem ter uma certeza absoluta: o clima é o melhor possível e imperará a harmonia entre nós”, afirmou Bolsonaro.

O presidente da República não detalhou as sugestões que fez, mas disse que são “assuntos voltados obviamente para a pandemia, a saúde, a economia e as reformas do Estado”.​

Rodrigo Pacheco disse que a prioridade do governo federal é o enfrentamento “seguro, ágil e inteligente da pandemia, com a disponibilização de vacinas”, além da recuperação econômica do País.

As propostas apresentadas, segundo o presidente do Senado, serão debatidas entre os líderes partidários das duas Casas, para que se decida quando pautar cada projeto.

Em suas manifestações, os parlamentares procuraram destacar a independência entre os Poderes, algo que vem sendo colocado em dúvida em razão do apoio de Bolsonaro às duas candidaturas vitoriosas.

“Este é um momento importante dentro da linha que buscamos pregar, de pacificação, de boa relação, de harmonia entre os Poderes, resguardando sempre a independência de um Poder em relação ao outro. Mas é fundamental este diálogo”, disse Pacheco.

“Nossa vinda aqui é como gesto de harmonia, de equilíbrio sobre todos os aspectos, mantendo sempre a independência. Ela configura um novo momento deste ano de 2021 para o Brasil”, disse Arthur Lira.

Reforma tributária  

Pacheco, que discursou primeiro também no ato no Congresso, defendeu que seja estabelecido um prazo de entrega do relatório final da comissão mista que analisa as propostas de emenda à Constituição (PECs) da reforma tributária e a proposta de Contribuição sobre Bens e Serviços (CBS) apresentada pelo governo.

Na noite desta quarta, Lira e Pacheco se reuniram com os relatores das PECs, Aguinaldo Ribeiro (Câmara) e Roberto Rocha (Senado).

Os dois presidentes também defenderam um prazo para entrega do relatório da PEC Emergencial, que estabelece gatilhos de cortes de gastos e está a cargo do senador Márcio Bittar (MDB-AC).